euronews_icons_loading
Protestos contra possível decisão do Supremo Tribunal dos EUA

Milhares de pessoas protestaram ao longo da semana contra a revogação do direito ao aborto, nos Estados Unidos da América (EUA). Em 1973, o Supremo Tribunal dos EUA aprovou o aborto até às 24 semanas de gestação, um direito que agora pode vir a ser revertido pelo mesmo órgâo, de cariz mais conservador desde a reformulação realizada pelo então ex-presidente Donald Trump.

Em resposta, a ministra canadiana das Famílias e do Desenvolvimento Social, Karina Gould, disse, esta quarta-feira, que as americanas poderão interromper a sua gravidez de forma segura no Canadá, onde não existe uma lei sobre o aborto.