This content is not available in your region

Uma Cooperativa de franchising social

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Uma Cooperativa de franchising social
Tamanho do texto Aa Aa

Elena é um dos 160 membros da Cooperativa Cadore Valley que, desde 2011, tem desenvolvido a oferta de eco-turismo que inclui apartamentos para alugar, restaurantes, museus e atividades desportivas. Claudio Agnoli é o fundador: “Precisávamos de criar emprego. E de uma verdadeira estratégia, tivemos de criar uma rede em que pudessemos usar um projeto de turismo social para acrescentar valor à nossa oferta no mercado internacional.”

A cooperativa desenvolveu projetos recorrendo a um sistema de franchising social. Hoje tem volume de negócios de mais de dois milhões de euros por ano. E o vale Cadore aparece em vários catálogos turísticos da Europa.

“Estamos a desenvolver um novo produto turístico sustentável. Não se trata apenas da criação de postos de trabalho no setor do turismo, mas também noutros setores dentro da cooperativa social”, acrescenta Claudio.

A economia social representa hoje cerca de 10% do PIB europeu, 6% dos postos de trabalho e ainda está em crescimento. É por isso que é importante compreender o funcionamento do franchising social.

O franchising social funciona como os franchisings comuns. Neste caso, o LE MAT, o franshiser, é uma ONG especializada em turismo, que tem vasta rede de especialistas. O objetivo é ajudar cada novo titular nos vários passos: a fazer um plano de negócios, a conseguir financiamento, ou na implementação de novos processos e serviços. Renate é a Presidente: “Algumas pessoas precisam de um arquiteto, outras precisam de marketing, de construir um site, ou formar os funcionários, por exemplo.”

O objetivo é criar emprego para pessoas socialmente excluídas: “Estamos convencidos que as pessoas marginalizadas e/ou com deficiência podem ser produtivas. Não é apenas uma questão de dinheiro, é uma questão de enriquecer a sociedade aproveitando todos os tipos de talento”, conclui Renata.

Para Claudio Agnoli: “as chaves do sucesso são: estar num processo de osmose com a terra onde se vive, construir uma forte identidade através do trabalho e transmiti-la para todo o mundo.”