This content is not available in your region

Mobilidade do futuro revoluciona os transportes no Dubai

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Mobilidade do futuro revoluciona os transportes no Dubai
Direitos de autor  euronews   -   Credit: Dubai
Tamanho do texto Aa Aa

O Dubai está a crescer como metrópole e as infraestruturas e as redes de transportes públicos tiveram de aumentar. Olhamos para a futura mobilidade partilhada que está a ser testada na cidade, assim como para as soluções verdes que estão a ser adotadas pelos residentes. Criada em 2005, a Autoridade de Estradas e Transportes do Dubai, ou RTA, assumiu o projeto.

O Dubai é uma cidade com cerca de três milhões de habitantes, recebemos aproximadamente 20 milhões de turistas todos os anos e nossa principal prioridade, pelo menos na RTA, é garantir que as pessoas se possam deslocar de uma forma muito segura, mas também uma forma suave e sustentável.
Ahmed Bedrosian
CEO, Autoridade de Estradas e Transportes do Duba

Em 15 anos, as redes expandiram-se para incluir o metro, elétrico, autocarro, táxis aquáticos e outros serviços, incluindo uma frota de carros elétricos. Mas estes não serão os únicos meios de transporte no futuro próximo.

O Virgin Hyperloop One é um sistema de transporte subterrâneo que envolve cápsulas dentro de tubos de vácuo que transportam passageiros a alta velocidade. O Hyperloop fez história no mês passado em Las Vegas, no Nevada, quando os primeiros passageiros viajaram com sucesso numa cápsula Hyperloop. O projeto bilionário vai reduzir o tempo de viagem para os passageiros entre o Dubai e Abu Dhabi - de pouco mais de uma hora para cerca de 12 minutos. A DP World, com sede no Dubai, uma empresa global de soluções de logística inteligente, fez um investimento significativo no projeto.

As novas tecnologias são realmente a espinha dorsal da nossa economia hoje em dia. Estou muito feliz e orgulhoso por termos conseguido colocar duas pessoas numa cabine e elas levitaram e seguiram a uma velocidade de 172 quilómetros por hora, num túnel construído para o efeito.
Sultan Ahmed bin Sulayem
Presidente da Virgin Hyperloop - Presidente e CEO da DP World

O governo do Dubai formou uma comissão dos transportes (o Dubai Future Council for Transportation), para avaliar a mobilidade no futuro.

É preciso assumir riscos e sermos os primeiros a adotar este tipo de tecnologia. Claro, é preciso que seja um risco calculado. Mas no final, já provámos no passado que estamos prontos a assumir riscos. Fizemos o primeiro teste com um Táxi Aéreo Autónomo, por exemplo, em 2017. Isso também significa que o objetivo do Dubai é tornar-se numa das primeiras cidades do mundo a ter um serviço autónomo de táxis aéreos. O outro aspeto é a flexibilidade. Acho que provamos no passado que somos muito flexíveis. A tomada de decisões é extremamente rápida na nossa cidade e, portanto, conseguimos ajustar e alterar os nossos regulamentos e políticas muito rapidamente em comparação com outras cidades, para podermos adotar estas tecnologias no futuro.
Ahmed Bedrosian
CEO Autoridade de Estradas e Transportes do Dubai

A comissão do Futuro dos transportes tem como objetivo aumentar o uso dos transportes públicos e a mobilidade partilhada e tem como objetivo que 25% das viagens sejam feitas em modos autónomos até 2030. A Autoridade das Estradas e Transportes também está a testar vários veículos a e soluções autónomas. Num futuro próximo, o Dubai planeia implementar um novo sistema ferroviário suspenso ou cápsulas, para revolucionar as viagens pela cidade.

O desejo por meios de transporte mais ecológicos, seguros e confortáveis tem aumentado nos últimos anos. Mas com a pandemia, vimos a popularidade dos meios de transporte pessoais crescer ainda mais. Scooters e biclicletas elétricas viram a sua popularidade e procura aumentarem ainda mais. Juntos, formam soluções de última geração para o público e empresas, para tornar a primeira e a última parte das viagens mais rápida e segura.

Quando se olha para o transporte pessoal, focamo-nos no primeiro e no último quilómetro. Portanto há um lado conveniente na deslocação em scooters. Há o lado saudável das bicicletas elétricas e também os ciclomotores particulares. O futuro da mobilidade a meu ver é a conveniência e nós temos o primeiro e o último quilómetro. As pessoas querem saber que, ao sairem de casa, têm um veículo pronto a utilizar. E olhamos para aquele "meio-quilómetro" com carros. Acredito que a mobilidade partilhada será o foco principal para o futuro.
Adam Ridgway
CEO, One Moto

O objetivo desta mobilidade traduz-se em vários níveis. É economicamente positivo. É melhor para o meio ambiente, mais seguro e reduz o tempo de viagem.

A beleza do Hyperloop é que faz ligações em minutos. Cidades e vilas, centros urbanos e trânsito são um grande problema. As cidades estão em expansão e há um limite de quantas auto-estradas podem ser construídas. Há um limite de quantos metros. O Hyperloop significa vender tempo às pessoas. E a única coisa que não podemos comprar no mundo é tempo e às vezes as pessoas não querem ficar presas no trânsito durante horas. E, se viajam de cidades distantes, demora muito tempo. O Hyperloop trará essa solução.
Sultan Ahmed bin Sulayem
Presidente da Virgin Hyperloop - Presidente e CEO da DP World

Está claro que a maneira como viajamos está a evoluir e a mudar e o Dubai está pronto para entrar na corrida pelos melhores meios de transporte para manter a cidade em movimento.