This content is not available in your region

Emprego jovem na Europa: Curso Intensivo

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira
euronews_icons_loading
Emprego jovem na Europa: Curso Intensivo
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa
  • O desemprego juvenil na UE aumentou na sequência da pandemia de Covid-19, de 15% em 2019 para 17,8% em dezembro de 2020.
  • Há agora 3,1 milhões de jovens dos 15 aos 24 anos na Europa à procura ativa de trabalho e incapazes de encontrar um emprego e 4,7 milhões na categoria etária dos 15-29 anos.
  • O número de jovens de 15-29 anos sem emprego e sem estarem a seguir educação ou formação - conhecidos como NEETS - é de 9,7 milhões.
  • Durante a crise financeira, o desemprego juvenil subiu de 16% para 26%. A taxa só voltou ao nível de 2008 em 2018, embora em Espanha, Itália e Grécia o desemprego juvenil tenha permanecido elevado.
  • Para evitar que a crise pandémica tenha o mesmo impacto, a UE investirá pelo menos 22 mil milhões de euros durante os próximos sete anos para ajudar a pôr os jovens a trabalhar. Este Pacote de Apoio ao Emprego dos Jovens é financiado pelo Fundo Social Europeu+ e outros fundos da UE.
  • Inclui a “Youth Guarantee” (Garantia Jovem), segundo a qual todos aqueles que se inscrevem recebem uma oferta de emprego, aprendizagem, educação, ou formação no prazo de quatro meses.
  • Outro impacto mais oculto da pandemia é uma "crise de bem-estar" entre os jovens. Um inquérito a mais de 12.500 jovens em 112 países, realizado pelo Fórum Europeu da Juventude com a OIT e outros parceiros, mostra que mais de metade dos jovens em todo o mundo estão a mostrar sinais de depressão e ansiedade desde que a pandemia começou.