This content is not available in your region

Arabian Travel Market 2021 no Dubai sob o signo da esperança

euronews_icons_loading
Arabian Travel Market 2021 no Dubai sob o signo da esperança
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

A edição 2021 do Arabian Travel Market, no Dubai, foi o primeiro evento da indústria das viagens desde a pandemia.

Com a reabertura das fronteiras, a indústria do turismo e das viagens esperar recuperar da crise gerada pela pandemia. "A essência do turismo é a presença, a ligação pessoal e profissional. É por isso que a indústria queria muito voltar ao normal", sublinhou Claude Blanc, responsável da World Travel Market.

Este ano, o Arabian Travel Market teve menos público do que em anos anteriores, mas, o sentimento geral foi positivo. "Vamos mostrar à indústria do turismo que estamos perante o fim do túnel. E a partir deste verão, turistas de todo o mundo poderão voltar a viajar", acrescentou o responsável.

Hotéis apostaram no mercado interno durante a crise

No Dubai, muitos hotéis no Dubai resistiram à tempestade graças à aposta no mercado interno.

"Houve um impacto financeiro para todas as empresas ligadas ao setor. Neste período de transição, observámos uma grande procura a nível local e registámos um grande número de estadias", afirmou Ammar Hilal, do MD Raffles Dubai & Sofitel Dubai the Obelisk.

euronews
Issam Kazim, Dubai Tourismeuronews

Dubai espera regresso do turismo com regras de segurança

O evento dedicado ao turismo e às viagens procura promover o Dubai como um destino seguro para eventos internacionais e como um ator fundamental na definição do futuro do setor. A euronews entrevistou o presidente do Dubai Tourism, Issam Kazim.

euronews: "Como se sente após a organização do primeiro evento presencial da indústria das viagens no Dubai?"

Issam Kazim: "Empolgado e orgulhoso. É um sentimento que provém de todos os esforços que implementámos no setor público e no setor privado para garantir que podíamos organizar um evento seguro num setor pelo qual nutrimos uma grande paixão".

euronews: "Como avalia a forma com a indústria tem lidado com a covid 19?"

Issam Kazim: "Numa perspectiva local, o que o governo fez, aqui, foi brilhante, nomeadamente, a rapidez com que decidiu o confinamento para garantir segurança e a higiene. Tendo em conta que o Dubai ou os Emirados Árabes Unidos foram considerados como um dos três países mais seguros do mundo, a situação da covid 19 obrigou-nos a ter em conta mais um desafio e a implementar procedimentos de higiene em toda a cidade, para gerir as idas e vindas entre casa e trabalho, tendo em conta as situações de emergência. A cidade desenvolveu rapidamente novas políticas e procedimentos para garantir que, no momento da reabertura, fosse possível voltar a um estilo de vida o mais normal possível".

euronews: "Quais são as soluções pós-pandemia mais importantes que serão adotadas nos Emirados Árabes Unidos e, em particular, no Dubai?"

Issam Kazim: "O mais importante é o teste PCR que vai continuar a fazer parte das viagens durante algum tempo. E as máscaras. Um aspeto positivo tem a ver com o uso das máscaras no Dubai ao qual as pessoas aderiram. É preciso não esquecer que cerca de 80% da nossa população vem de fora e que temos cerca de duzentas nacionalidades diferentes. Há culturas e origens diferentes. Mas toda a gente faz um bom trabalho. Se alguém se esquece da máscara no queixo, as pessoas dizem logo: desculpe, pode pô-la de novo?”.

euronews: "O programa de vacinação da covid 19 foi uma das maiores campanhas de sempre. É importante avançar a nível global e garantir que a vacinação seja implementada rapidamente?"

Issam Kazim: "É sem dúvida o futuro das viagens no período pós- pandemia. Daqui para a frente, quanto mais países iniciarem a vacinação, mais indivíduos serão vacinados. Fala-se do passaporte de vacinação ou do passaporte de anticorpos. Seja o que for, graças à digitalização desse passaporte, as pessoas poderão demonstrar que tomaram a vacina".

euronews: "Além de ser um dos setores mais importantes na economia global, a indústria das viagens, é muito importante para o bem-estar das pessoas, o bem-estar mental, poder viajar e visitar a família, ir de férias".

Issam Kazim: "Concordo totalmente consigo. Na primeira fase após o confinamento, quando começámos a implementar novas políticas, não queríamos abrir o país demasiado depressa porque os mercados globais ainda não estavam prontos. O que fizemos foi lançar em maio uma campanha de turismo a nível interno, porque sabíamos que havia uma ansiedade reprimida, as pessoas estavam frustradas por viverem entre quatro paredes. Abrimos com regras muito mais rígidas localmente, porque queríamos que as pessoas pudessem sair e aproveitar todos os equipamentos, hotéis e tudo o que os Emirados Árabes Unidos e o Dubai têm para oferecer. E foi um grande sucesso".