This content is not available in your region

Uzbequistão quer expandir redes de comunicação e transportes regionais

De  Euronews
euronews_icons_loading
Uzbequistão quer expandir redes de comunicação e transportes regionais
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

A melhoria das infraestruturas de transporte e comunicação nos países da Ásia Central e do Sul dominou a agenda da recente conferência internacional na capital do Uzbequistão.

O Uzbequistão quer promover a cooperação e tirar partido do potencial comercial de uma região onde vivem cerca de dois mil milhões de pessoas. "O Uzbequistão sugeriu que, em vez de nos centrarmos nos problemas e nas contradições deveríamos centrar-nos em projetos de desenvolvimento do comércio, dos transportes, das infraestruturas e do turismo", frisou Eldor Aripov, diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Inter-regionais, uma instituição pública criada pelo presidente do Uzebequistão em 1992.

A captação de investimento internacional

A conferência contou com a presença de delegações da Ásia Central e do Sul, representantes da União Europeia, dos Estados Unidos e da Rússia e empresários.

“As interligações não se resumem ao cimento e ao aço, às infraestruturas materiais. Incluem também a revolução digital, pôr as pessoas em contacto umas com as outras”, afirmou Josep Borel, alto representante da UE para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança.

euronews
Josep Borel, alto representante da UE para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurançaeuronews

O futuro do Afeganistão passa pelo comércio

Tornar a região mais atrativa para investidores do mundo inteiro foi um dos temas abordados durante a conferência. As discussões centraram-se nos setores dos transporte, do comércio e da cultura. Em cima da mesa esteve também a questão do futuro do Afeganistão.

“A estratégia é transformar o Afeganistão numa espécie de ponte que unirá o centro e o sul da Ásia”, afirmou Ismatilla Irgashev, Representante Especial do Presidente do Uzbequistão no Afeganistão.

euronews
Ismatilla Irgashev, representante especial do Presidente do Uzbequistão no Afeganistãoeuronews

A futura linha elétrica Surham-Pulikhumri na fronteira com o Afeganistão

A ambição do Uzbequistão é expandir a cooperação regional através do desenvolvimento de projetos de infraestruturas. Para já, o país quer contruir uma nova linha de transmissão de energia para o mercado afegão.

“O Uzbequistão tem sido bastante ativo no fornecimento de eletricidade ao mercado afegão. Queremos aumentar o volume, fornecer duas vezes e meia mais eletricidade, quando a construção da linha Surham-Pulikhumri for concluída ”, sublinhou Sherzod Khodjaev, vice-Ministro de Energia do Uzbequistão.

euronews
Sherzod Khodjaev, Vice-Ministro da Energia do Uzbequistãoeuronews

Os desafios logísticos de um país sem acesso ao mar

A diversificação das redes de comunicação e transporte é um dos principais desafios para os países da Ásia Central que não têm litoral.

“Ligar a Ásia Central e do Sul é muito importante porque permite que países sem litoral, como o Uzbequistão, possam chegar a portos e ao mar e integrar as cadeias de abastecimento e as redes comerciais a nível global", afirmou Young Tae Kim, Secretário-Geral do Fórum Internacional de Transporte.

Sem acesso ao litoral, o Uzbequistão aposta na construção de novos corredores para os transportes. Recentemente, lançou um projeto de construção da ferrovia Mazar-i-Sharif-Kabul-Peshawar, que atravessa o Afeganistão até ao Paquistão.

O objetivo é ligar o Sul e o Centro da Ásia, o que permite estimular a economia afegã, abrir um caminho direto para os portos marítimos do Paquistão e, mais tarde, para a Índia.

"Se olharmos para o mapa, o Uzbequistão e os países da Ásia Central vão ter acesso ao caminho mais curto para as rotas marítimas", frisou Eldor Aripov, diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Inter-regionais.

euronews
Eldor Aripov, diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Inter-regionaiseuronews

Facilitar o comércio com o Afeganistão e o Paquistão

Para o mundo empresarial, o importante é reduzir o custo dos transportes, as distâncias e o preço das mercadorias.“Quando transportamos batatas do Paquistão, gastamos muito em logística e, por isso, as mercadorias ficam incrivelmente caras. Se Deus quiser, essa estrada vai abrir e trará muitos benefícios para o Uzbequistão, assim como para o Paquistão e o Afeganistão", afirmou o empresário uzbeque Amrullokh Sadullokh.

A conferência internacional intitulada “Ásia Central e do Sul: Ligações regionais, desafios e oportunidades”, decorreu na capital uzebeque entre 16 e 17 de julho de 2021 e reuniu participantes de cerca de 40 países.