This content is not available in your region

Desportos eletrónicos, um mercado milionário em crescimento no Médio Oriente

Access to the comments Comentários
De  Natalie Lindo & Euronews
euronews_icons_loading
Desportos eletrónicos, um mercado milionário em crescimento no Médio Oriente
Direitos de autor  euronews   -   Credit: Dubai

Os desportos eletrónicos, também conhecidos como e-Sports, tornaram-se num fenómeno global, sendo atualmente a forma de entretenimento mais rentável do mundo. Em 2020, a indústria foi avaliada em 121 mil milhões de euros.

Só na região do Golfo Pérsico, estima-se que, até ao final do ano, o setor atinja os 710 milhões de euros. O jogo oferece enormes recompensas financeiras, mas aparentemente nem toda a gente participa por dinheiro.

A jogadora e streamer Hanna 'Zahlyn' Öberg entrou para o mundo dos desportos eletrónicos aos 14 anos. "O meu irmão deu-me a conhecer os jogos online e fiquei viciada", conta.

Eu diria que para muitos jogadores, trata-se mais do troféu, do título, de poder dizer 'eu sou campeão!'
Klaus Kajetski
Fundador e diretor executivo da Yalla Esports

Agora, Hanna transmite regularmente os seus jogos online. “Se estivesse a transmitir agora mesmo enquanto jogava, teria uma câmara a filmar a minha cara. E estaria a ver o chat com pessoas a ver e a comentar o meu jogo”.

O debate sobre o jogo ser visto como um desporto não tem fim à vista, mas a sua credibilidade e domínio no mundo do entretenimento é inegável.

Milhões de adeptos e atletas sintonizam-se para grandes torneios em plataformas de streaming como a Twitch e o YouTube Gaming.

O futuro depois dos 20 num mercado milionário

O uso crescente de smartphones, tecnologia de blockchain e jogos online tem sido também um fator-chave para o crescimento a nível global deste mercado milionário.

Os vencedores das competições recebem normalmente prémios financeiros que podem ser bastante apelativos. Mas Klaus Kajetski, fundador e diretor executivo da empresa da Yalla Esports, acredita que há mais na recompensa além do dinheiro.

"Eu diria que para muitos jogadores, trata-se mais do troféu, do título, de poder dizer "eu sou campeão!". Mas, por acaso, no outro dia, a nossa equipa móvel PUBG ganhou um torneio de 150 mil dólares".

[A profissão de jogador] dura até aos 20 anos e depois já se é demasiado velho para se ser um jogador profissional
Klaus Kajetski
Yalla Esports

A Yalla Esports, tal como muitas das equipas profissionais no Dubai, está focada em desbloquear o potencial de aspirantes a jogadores profissionais, promotores, analistas e comentadores.

Contudo, a carreira de jogador profissional é curta, pois, de acordo com Klaus Kajetski, “dura até aos 20 anos, e depois já se é demasiado velho para se ser um jogador profissional”.

O dono da empresa de desportos eletrónicos frisa, no entanto, que novos horizontes se podem abrir a um profissional, “pode passar a ser treinador, ou analista. Nós certificamo-nos de que existe uma carreira para os antigos jogadores profissionais”.

Em última análise, o sucesso dos desportos eletrónicos deve-se aos fãs e à comunidade que se constrói em torno do jogo, “uma espécie de comunidade e de ligação” que, para Hanna 'Zahlyn' Öberg, são “realmente valiosas na vida".