This content is not available in your region

Governação digital discussão no Dubai

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Governação digital discussão no Dubai
Direitos de autor  euronews   -   Credit: Dubai

A governação digital tem estado no topo das preocupações das nações a nível mundial, à medida que navegam ao ritmo das mudanças e dos avanços tecnológicos. Isto refletiu-se na oitava edição da Cimeira Mundial de Governos, no Dubai. O evento, que acolhe altos funcionários governamentais de mais de 140 países, teve uma agenda centrada na formação de um futuro melhor. 

Na cimeira, um tema-chave foi o propósito da digitalização, não só na perspetiva do Governo, mas também em termos de oferecer aos cidadãos o acesso a serviços mais racionais e eficazes.

Mohammed Bin Taliah é o diretor dos Serviços Governamentais do Governo dos Emirados Árabes Unidos (EAU) e diz que a tecnologia tem vindo a habilitar a Humanidade há já algum tempo.

"Com a tecnologia, podemos aumentar o esforço do utilizador e permitir que a tecnologia faça coisas em nome do cliente. Estamos a tentar agrupar serviços, torná-los simples, reduzir os passos dos clientes e assegurar que eles obtenham o que querem num tempo muito mais curto".

Na estratégia do Governo Digital dos Emirados Árabes Unidos para 2025, há indicadores-chave de desempenho claramente definidos com objetivos ambiciosos, tais como ter 100% dos serviços digitalizados até 2023.

Mohammed Bin Taliah, diretor dos Serviços Governamentais do Governo dos EAU explicou que o passo seguinte é um conceito chamado serviços proativos onde podem antecipar as necessidades dos utilizadores. 

_"Estamos a utilizar a Inteligência Artificial (IA) para permitir que os serviços sejam prestados em nome dos clientes sem que estes os solicitem. Assim, com os percursos dos clientes, e connosco conhecendo as necessidades dos clientes e a sua personalidade, podemos prever o que eles querem e prestar serviços antes de os solicitarem". _

O termo tecnologia invisível está a tornar-se cada vez mais popular na esfera digital. 

O Ministro da Inteligência Artificial dos EAU, Omar Al Olama, disse que isto significa que não devemos sentir a implantação ou o uso da tecnologia nas nossas vidas. 

_"O que se deve ver é uma melhoria exponencial na qualidade do serviço, terá uma prestação de serviços proativa. Terá a melhor qualidade de produção que o fará sentir que o Governo o entende, que presta serviços feitos, especificamente, à sua medida como indivíduo. É este o impacto da IA na sua vida". _

No entanto, como é que tais avanços nos afetam na realidade? O Dubai nomeou um conselheiro para monitorizar isso da perspetiva do utilizador final. 

Ali al Awazzi é o Consultor de Experiência da Cidade para o Dubai Digital. O seu trabalho é olhar para as necessidades das pessoas na cidade e traduzir a tecnologia para que se adeque a essas necessidades. 

_"A pandemia mostrou-nos a necessidade dessa eficiência e conexão, e também como os dados e a circulação de informação são críticos para fornecer os serviços com o melhor benefício para as pessoas no mundo e especificamente nas cidades, se quiserem competir entre si". _

Ele acrescentou que isto tem de ser feito da forma mais eficiente possível, mas também tem de olhar para o bem-estar geral das pessoas na cidade. 

Na Europa, existem fortes exemplos de Governos digitais bem-sucedidos. Por exemplo, na Dinamarca. Noutros lugares, para cidadãos e empresários, o acesso digital é um modo de vida na Estónia, com quase todos os serviços governamentais em linha, desde a votação até à criação de empresas e à assinatura de documentos oficiais.

O diretor do Departamento de Dados do Governo da Estónia, Ott Velsberg, disse que a ideia é tornar o Governo mais transparente, pró-ativo e centrado no utilizador.

"Tentamos eliminar e automatizar o maior número possível de tarefas. Como parte disso, há também a digitalização. Assim, por exemplo, uma das últimas iniciativas que estamos, neste momento, a desenvolver chama-se Bürokratt, que é um assistente virtual inteligente do cidadão".

Raymond Khoury é sócio da empresa de consultoria Arthur D Little e o autor do relatório do Governo do Futuro dos EAU 2022. Ele diz que os países que não avançarem ficarão para trás.

No documento, ele destaca quais são os elementos fundamentais para se tornar, na sua opinião, no Governo do futuro.

"Ele transcende as tecnologias digitais. Há um mito que diz que se se implantarem as tecnologias digitais na governação, ficaremos com um Governo digital, o que não é o caso. Tem de começar de cima. Tem de haver uma liderança ousada, estratégias ousadas que vão para além da digitalização dos seus serviços".

Durante a Cimeira Mundial de Governos, o Município do Dubai anunciou que iria impulsionar ainda mais a sua presença digital, entrando no Metaverso. Irão colaborar com o setor privado para criar uma versão futurista e centrada no ser humano da cidade que capitalize as oportunidades oferecidas pelo Metaverso.