This content is not available in your region

Escola Digital visa escolarizar um milhão de crianças refugiadas

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Escola Digital visa escolarizar um milhão de crianças refugiadas
Direitos de autor  euronews   -   Credit: Dubai

Um projeto de educação digital implementado pelo Dubai ambiciona ajudar um milhão de crianças refugiadas e pobres nos próximos cinco anos.

Após uma fase experimental em 2020, a iniciativa arrancou oficialmente, este ano, em cinco países, o Egipto, a Jordânia, o Iraque, a Mauritânia e a Colômbia.

"A ideia é que as crianças possam ir à escola graças ao uso de meios digitais. Hoje, possuímos a tecnologia necessária e durante a pandemia percebemos que é possível passar da educação convencional para a educação digital na maioria dos países. Mas a questão que não foi colocada é saber o que acontece aos refugiados que nunca tiveram educação e acesso a meios educativos convencionais, e aos refugiados que estão deslocados ou que se encontram em zonas rurais onde é muito difícil ter acesso à educação. Na verdade, aprendemos muito ao longo do processo. Percebemos que, em certos lugares, é de facto, muito mais fácil disponibilizar educação digital através de canais de televisão para ajudar o processo de alfabetização, para que as pessoas usem esses dispositivos para fazer a transição para uma escola digital”, disse à euronews Omar bin Sultan Al Olama, Ministro de Estado da Inteligência Artificial, Economia Digital e Aplicações para o Trabalho à Distância, Presidente do Conselho da Escola Digital.

A iniciativa é implementada através de acordos com governos e instituições de vários países. Um dos desafios é poder dar aos alunos um acesso gratuito à Internet.

"Começamos o processo de coordenação com as autoridades locais, com os governos de cada país para identificar os locais adequados e os estudantes. Realizamos uma avaliação logística de cada local, para ver se se adequa à escola digital. Começamos com a formação dos professores e dos facilitadores, para criar uma consciência em torno do sistema de gestão da aprendizagem e das novas normas de educação. Até agora, os resultados têm sido muito promissores. Há um enorme empenho por parte dos estudantes. Os professores inscrevem-se ativamente nos programas de desenvolvimento profissional”, afirmou Waleed Al Ali, secretário-geral da Escola Digital.

Certificados reconhecidos a nível mundial

Na prática, a Escola Digital adapta-se às necessidades e ao currículo de cada país. Com o apoio de um professor ou facilitador, cada aluno descarrega o material educativo digital que lhe permite iniciar o processo de aprendizagem.

“Este sistema dá ao alunos conhecimentos e competências essenciais para o seu futuro imediato e a longo prazo. Mantém-os dentro do sistema educativo. Os nossos estudantes digitais poderão desenvolver um sentimento de pertença a uma comunidade mais ampla, e compreender que essa comunidade mundial se preocupa com eles”, afirmou Lesley Snowball, diretora educativa da Escola Digital.

O campo de refugiados sírios na Jordânia Mrajeeb Al Fhood, implementado pelos Emirados Árabes Unidos, fez parte da fase piloto da escola digital.

“Deu-me um espírito de responsabilidade e iniciativa. A nossa felicidade reside na busca constante de desenvolvimento e na procura de tudo o que é novo e útil ao nível do material educativo usado para ensinar. Tento ajudar os alunos ao longo do processo, na transição de uma fase para a outra. A escola digital fornece certificados que são reconhecidos, a nível mundial, que lhes permitem, por exemplo, frequentar universidades no futuro”, contou Fatima Al Gabawy, facilitadora do projeto de educação digital no campo de refugiados da Jordânia.