This content is not available in your region

90 relógios selecionados para o Grande Prémio de Relojoaria de Genebra

Access to the comments Comentários
De  Cyril Fourneris  & euronews
90 relógios selecionados para o Grande Prémio de Relojoaria de Genebra
Direitos de autor  euronews   -  

Todos os anos, o Grande Prémio de Relojoaria de Genebra destaca as inovações do setor e recompensa as melhores obras.

Antes da cerimónia de entrega dos prémios, é possível contemplar os relógios em competição, numa exposição aberta ao público, na cidade suíça. Noventa relógios concorrem a um dos vinte prémios, incluindo o prestigioso Grand Prix de l'Aiguille d'Or

Fundada no final do século XIX, a Breitling é uma das marcas pioneiros do cronógrafo moderno. A empresa produz cerca de 200 mil relógios por ano e concorre ao grande prémio com quatro obras de relojoaria. Entre elas, novas versões do emblemático Navitimer e do relógio de mergulho Superocean.

"O nosso objetivo é reunir toda a herança Breitling. Para extrair as peças mais icónicas, para compor a carteira atual da Breiling. Estamos rodeados de colecionadores e historiadores que nos guiam pelas obras do passado. São 140 anos de história. É excepcional. Por isso, retirámos as obras do arquivo, para podermos compreendê-las e analisá-las. Quando compreendemos o ADN da obra, os valores da marca Breitling, podemos começar a desenhar a partir da perspetiva da marca", disse à euronews Sylvain Berneron, diretor criativo da Breitling.

euronews
Noventa relógios concorrem ao Grande P´rémio da Relojoaria de Genebraeuronews

Marca anuncia aposta na sustentabilidade

A marca anunciou que quer atingir a neutralidade de carbono e favorecer materiais eco-responsáveis. "As nossas atividades têm em conta os nossos 5 pilares. Produto, Planeta, Pessoas Progresso e Prosperidade. Podemos observar os resultados do nosso trabalho para envolver os fornecedores ao longo da cadeia de valor, abordar os nossos impactos ambientais e associar os nossos colaboradores ao objetivo de sustentabilidade", considerou Aurelia Figueroa, diretora de sustentabilidade da marca.

Um relógio com um diamante sintético

A Tag Heuer, fundada em 1860, concorre ao grande prémio de relojoaria de Genebra com quatro relógios, o novo modelo Mónaco, um dos favoritos dos motociclistas e o Aquaracer, que permite mergulhar a mil metros de profundidade.

"Na marca TAG Heur, TAG significa 'tecnologia de vanguarda'. Respiramos vanguarda em todo o lado. Em todos os departamentos, sentimos esse espírito, que é ainda mais pronunciado é no nosso departamento chamado Instituto, dedicado à inovação. Imaginamos e criamos a inovação e escrevemos o futuro da empresa. Associamos esta vanguarda à procura de qualidade e melhor desempenho. Relógios com assinatura e um espírito criativo", sublinhou Maria Laffont, vice-presidente do departamento de Design e Produto da Tag Heuer.

Foi precisamente no instituto dedicado à inovação que o Carrera Plasma foi concebido. Um relógio composto por um diamante sintético. "Um diamante leva entre 1 e 3 mil milhões de anos a formar-se. Este diamante, desenvolvido em laboratório, permite obter pedras com as mesmas características que os diamantes naturais, mas de forma muito mais rápida graças às tecnologias. O que abre perspetivas disruptivas, ao nível da conceção", afirmou Carole Kasapi, diretora do Departamento de Movimento da Tag Heuer.

euronews
O uso de diamantes sintéticoseuronews

Um processo rigoroso de seleção

Os relógios expostos em Genebra foram selecionados pelos membros da Academia do Grande Prémio de Relojoaria de Genebra, num processo rigoroso compostos por várias etapas.

"2022 é também o ano da consagração do sistema académico. 650 académicos participam no processo de seleção. Criámos esse sistema em 2020, hoje temos 650 membros. O meu objectivo é chegar aos mil membros em 2025. Este processo permitiu definir os princípios institucionais do Grande Prémio, nomeadamente a neutralidade e imparcialidade do processo de seleção. E a universalidade, ou seja, a abertura a todos os relógios do mundo, e não apenas aos suíços. E finalmente, a solidariedade, para encorajar todas as marcas a participar no Grande Prémio, mesmo as que pensam que não é necessário”, sublinhou Raymond Loretan, presidente da Fundação Grande Prémio de Relojoaria de Genebra.

Os 30 membros do júri da Academia do Grande Prémio de Relojoaria de Genebra deverão anunciar os vencedores no próximo dia 10 de novembro.