“Protótipos para a Humanidade” no Dubai apresenta 100 ideias para mudar o mundo

Access to the comments Comentários
De  Katie Chambers
“Protótipos para a Humanidade” no Dubai apresenta 100 ideias para mudar o mundo
Direitos de autor  euronews   -   Credit: Dubai

Uma cadeira que se transforma numa jangada salva-vidas, restos de colheitas de banana transformados em sacos reutilizáveis; 100 dos melhores cérebros do mundo reúnem-se com ideias que podem salvar o mundo. As mentes académicas mais jovens e brilhantes foram até ao Dubai para o primeiro evento “Protótipos para a Humanidade” - 100 protótipos e tecnologias originais, impactantes e inovadoras criadas por estudantes e recém-formados em mais de 100 países que se reunira na esperança de mudar o mundo com as suas criações.

A poluição por plásticos é um desafio crítico a nível mundial. A Alemanha tinha em exposição uma resposta que ajudaria os nossos oceanos; uma barreira fluvial de baixo custo denominada “Trashboom”. A empresa por detrás deste projeto, a Plastic Fischer diz que 80% do plástico oceânico começa como poluição fluvial. A barreira tem como alvo a fonte, uma vez que é 300 vezes mais eficaz recolher o plástico antes de chegar ao oceano.

Moritz Schulz, Cofundador & Design Advisor da Plastic Fischer GmbH disse à Euronews: "Começámos no Sudeste Asiático, na Indonésia. Estamos lá há oito meses para desenvolver o projeto no terreno porque não tínhamos qualquer conhecimento prévio sobre o assunto. Agora estamos a expandir-nos, principalmente na Índia. Estamos ativos em seis locais diferentes e temos cerca de 30 que estão ativos, 60 funcionários a tempo inteiro para cuidar da gestão de resíduos e já recolhemos 340 toneladas de resíduos plásticos".

Também no evento esteve o inovador filipino Aleksander Wieneke, que desenvolveu uma cadeira que se transforma num dispositivo de flutuação que salva vidas, depois de ter passado pela experiência de um tufão aos 9 anos. Como um pedaço de origami, transforma-se em menos de um minuto numa jangada salva-vidas.

euronews
Um dos projetos vencedores: frigorífico de campo para manter frutas e vegetais - Ganaeuronews

Aleksander Wieneke, Designer da NOAH diz: "Depois de algumas décadas, seria de esperar que conseguíssemos gerir melhor as inundações. Mas continua a ser um problema. E assim, pensei: está bem, deveríamos ser capazes de ajudar aqueles que são vulneráveis. Não se trata apenas do problema de afogamento, electrocussão e de todos os outros problemas associados às inundações".

Outro problema que procurava solução na exposição era o do desperdício. No Burundi, na África Oriental, os restos de colheitas de banana estão a ser transformados em sacos reutilizáveis. A solução é combater a poluição e as alterações climáticas através de uma economia circular; acrescentar valor às plantações de bananas enquanto se criam empregos para os jovens desempregados.

Noventa por cento da população do Burundi lida com a agricultura. A Fundadora da Empresa Guerreira Ecológica (Wege) disse: "após a colheita, verifica-se que há muitos desperdícios na exploração de bananas e depois recolhemo-los". Estamos também a colaborar com muitas cooperativas que cultivam bananas e a colaborar com mais de 86 produtores de banana. Depois, temos de as recolher dos produtores. Fazemos a compra dando-lhes uma pequena quantia de dinheiro e depois são transformadas neste saco ecológico.

Muitos dos criadores do “Protótipos para a Humanidade” tinham os olhos postos no prémio, mas só podia haver quatro vencedores - cada um recebendo 24 mil euros para ajudar no desenvolvimento da sua ideia.