A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Vídeo

A aprovação foi polémica porque os Estados Unidos exigiram que fosse retirada da resolução a parte que defendia o acesso dos sobreviventes de abusos a “cuidados de saúde sexual e reprodutiva”