Vídeo

euronews_icons_loading
Paris considerava medida "discriminatória"