Última hora

Última hora

Igualdade entre mulheres e homens: para quando uma sociedade mais justa?

Em leitura:

Igualdade entre mulheres e homens: para quando uma sociedade mais justa?

Tamanho do texto Aa Aa

Questão colocada por Emilie, de França:

“Olá, sou a Emilie e pergunto se a União Europeia pretende harmonizar a igualdade entre homens e mulheres? Gostaria de saber o que vai ser feito, a nível europeu?

Resposta da Secretária geral do Lóbi Europeu das Mulheres, Cécile Gréboval:

“Podemos concluir que na maioria dos países, e também nos textos europeus, muito tem sido feito em termos legais. Depois, quando olhamos para os números confirmamos que a realidade é diferente.

Existem desigualdades em muitas áreas, exemplo disso é a diferença salarial. Em média, na UE as mulheres ganham menos 17 por cento do que os homens. Verificamos ainda que têm uma fraca representação na política e que a violência contra as mulheres ainda persiste.

A lei existe e pode ser melhorada. é uma questão de mudança de estereótipos e acredito que seja também uma questão de política global.

Penso que não podemos ter igualdade no trabalho, nem uniformidade salarial se não existir igualdade em casa no que diz respeito à divisão de tarefas, ao facto de os homens poderem também usufruir da licença de paternidade, e todas essas questões.

A luta contra todas as formas de violência é a prioridade definida, pelos membros do Lóbi Europeu das Mulheres, para todos os países. Quando falamos de violência, queremos dizer:

maus tratos domésticos, tráfico, prostituição, assédio sexual, por isso, do ponto de vista estratégico, essa é a nossa prioridade.

Outro ponto importante: constatamos que em alguns países da União Europeia, se coloca em causa o direito ao aborto. Sobre este ponto, estamos à espera de um impulso político por parte da Comissão Europeia que até agora se tem mantido submissa. Gostaríamos que fosse criado, o mais rápido possível, um Ano Europeu contra a violência feminina.

Lamentamos, igualmente, que vários processos estejam bloqueados, incluindo uma diretiva europeia relativa à proposta de licença de maternidade. Esperamos que a Presidência polaca consiga desbloqueá-la no Conselho de Ministros dos 27.”

Se quiser colocar alguma questão pode fazê-lo em euronews.net/u-talk.