Última hora

Última hora

Eleições EUA: quem ganhou o debate e como vai ser a partir de agora

Em leitura:

Eleições EUA: quem ganhou o debate e como vai ser a partir de agora

Tamanho do texto Aa Aa

Primeiro debate entre os dois candidatos à presidência dos Estados Unidos e uma primeira vitória para o republicano Mitt Romney.
Depois de várias semanas difíceis, Romney pareceu mais eficaz.
Ambos mostraram abordagens completamente diferentes, nomeadamente em economia.

Barack Obama, presidente cessante do partido democrata:

“Acho que a economia vai melhor quando as famílias de classe média gozam de isenções fiscais e têm poupanças em carteira. E elas têm, graças a este magnífico país em que vivemos, em que nos podemos permitir fazer um pouco mais para estarmos seguros de que não fazemos disparar o déficit”

Mitt Romney, candidato republicano:

“O meu princípio número um é que não haverá terá cortes de impostos que agravem o déficit. Quero sublinhar: não haverá impostos que agravem o déficit. Mas quero reduzir o ónus que pesa sobre os ombros dos norte-americanos da classe média. Quer isto dizer que não posso baixar os impostos dos que vivem melhor.”

O candidato republicano aproveitou a ocasião para convencer os eleitores de que está disposto a dirigir o país. É a impressão que transmitiu, por exemplo, a um estudante que assistiu:

Michael Senders, estudante:

“Romney marcou-me, principalmente, porque, apesar das críticas, transborda energia e abordou muitos tópicos e ideias que quis desenvolver no debate”.

Para os apoiantes de Obama o encontro foi um pouco dececionante:

Camille O’Brien, estudante:

“Acho que o presidente Obama ainda que seja um bom orador, podia ter feito melhor esta noite. Gosto dele e gosto de muitas das políticas dele, mas por qualquer razão parecia nervoso e deixou que algumas perguntas o desequilibrassem. mas Romney também se atrapalhou. “

Obama, tão otimista na campanha anterior, que o levou à presidência, pareceu estar mais desgastado mas também não provocou a debandada de ninguém das suas fileiras.

Christiane Amanpour, de ABC News, analisou, para a euronews, o resultado do debate entre os dois candidatos à presidência nos Estados Unidos.
Como descreve o efeito gerado pelo debate dos dois candidatos? O que é que os americanos ficaram a saber de ambas as personalidades, especificidades e ligação aos eleitores?

Christiane Amanpour – Nalgumas áreas conseguiram, noutras não. Em geral, as análises instantâneas mostram que Romney ganhou neste primeiro debate. Segundo a maioria dos comentários que ouvi, e pelo que observei, Romney seduziu dois terços dos espetadores, o que é muito para Romney, porque era a noite da última oportunidade. Mesmo que não tenha convencido totalmente os eleitores, os republicanos deste país estão exultantes depois da atuação do candidato no debate.

euronews – Mas Romney conseguiu convencer o público de que é competente? Um dos adjetivos usados para descrever o desempenho foi “vigoroso”…

CA – Na realidade, o adjetivo vigoroso descreve-o bem. Surpreendeu-me a linguagem corporal, porque uma vez que se vai para além das palavras descobrem-se detalhes muito importantes sobre o que diferencia um candidato de outro. Mas em termos visuais, e a televisão é um meio visual, estes debates são muito importantes para a ligação entre os candidatos e os potenciais eleitores. Romney foi bem mais vigoroso, bem mais dinâmico, estava na ofensiva verbal com uma linguagem corporal eficaz.

euronews – Diz-se que Obama se comportou como professor: foi suficientemnte hábil?

CA – Segundo as sondagens imediatas não foi suficientemente claro. Vamos ver, pois estas coisas tendem a ter resultado logo a seguir. Então veremos como a poeira assenta, como vai evoluir nos próximos debates.

euronews – O debate alterou a intenção de voto dos diferentes grupos de mulheres, homens, afroamericanos, eleitores brancos e hispânicos?

CA – Isso é o que se vai tirar a limpo, por assim dizer, no rescaldo, nomeadamente no eleitorado feminino. A palavra mulher não foi proferida uma única vez em todo o debate. Algumas mulheres levaram a mal, como ficou patente nas reportagens realizadas no âmbito deste debate. Os sinais dados pelas pessoas, no exterior, vieram essencialmente de mulheres com cartazes que exigiam que os direitos fossem consagrados para além de qualquer negociação.

No entanto, as questões não foram levantadas quer pelo moderador quer pelos candidatos, especialmente pelo presidente Obama. Portanto, que há uma deceção há.
Por outro lado, na votação nacional, até agora, Obama obteve uma vantagem significativa no eleitorado feminino.
As sondagens imediatas deram a vitória do debate a Romney.
Em relação aos outros grupos de interesse, vamos continuar a ver, vamos assistir à continuação. Este é apenas o primeiro debate. Foi muito importante. Mas há mais dois e vamos ver como se desenvolvem.