Última hora

Última hora

Estatuetas Douradas no Tapete Vermelho

Em leitura:

Estatuetas Douradas no Tapete Vermelho

Tamanho do texto Aa Aa

A noite de ontem foi o culminar da temporada de prémios do cinema – os Óscares, considerados os menos previsíveis dos últimos anos. Vamos falar com a correspondente da ABC Brandi Hitt, que está no tapete vermelho em Los Angeles – mas primeiro, um olhar rápido pelos vencedores deste ano.

O comentado “Argo” de Ben Afleck ganhou na categoria de Melhor Filme na cerimónia dos Óscares.

“Hat-trick” para Daniel Day-Lewis, que fez história ao ganhar o terceiro Óscar para Melhor Ator.

“Guia para um Final Feliz” conduziu a um final em conformidade, nesta edição dos Óscares. A noite foi mesmo de Jennifer Lawrence, galardoada como melhor atriz e atordoada com o reconhecimento, quase caía a caminho do prémio.

O realizador Ang Lee derrotou o favorito Steven Spielberg, no campeonato da realização. “A Vida de Pi” convenceu a Academia.

“Amor” do austríaco Michael Haneke, uma história de cortar o coração de um casal de idosos no final da vida. Reconhecido como Melhor Filme estrangeiro nos Óscares, depois das glórias em Cannes e nos prémios Grammy.

Anne Hathaway e Christoph Waltz foram reconhecidos com a estatueta para melhor atriz e ator secundários. Papéis secundários para um desempenho de primeira linha.

Euronews: Olá Brandi Hitt. Estes Óscares foram descritos como os menos previsíveis em anos, mas um prémio nunca esteve em dúvida – o de melhor ator para Daniel Day Lewis – o que o distingue?”

Brandi: “Definitivamente, muita gente sabia que Daniel Day Lewis ia ganhar o Óscar de Melhor Ator. Venceu, é a terceira vez, e a primeira que um ator ganhou três Óscares. Estava muito calmo e contido no palco, a brincar um pouco até, mas a maioria das pessoas em Hollywood acreditavam que ia ganhar esse Óscar, esta noite.”

Euronews: “O filme político de Ben Affleck “Argo” ficou com o prémio de Melhor Filme, mas ele não foi sequer nomeado para melhor realizador, o que é bastante incomum, não é?”

Brandi: “É, normalmente um vencedor de Melhor Filme também tem pelo menos uma nomeação para Melhor Realizador. Comentava-se o fato de Ben Affleck ter ganho tantos prémios, incluindo um Globo de Ouro e um BAFTA, e não ter sido nomeado para o Óscar de Melhor Realizador. Quando “Argo” ganhou o Melhor Filme e teve de subir ao palco para aceitar o Óscar, porque foi um dos produtores, foi apresentado pelos colegas como sendo o melhor realizador deste filme. Estava muito animado, disse que nunca pensou que voltaria ao palco dos Óscares, mas que aprendeu que é preciso levantar-se e continuar. Ficou sem ar por vezes, estava muito entusiasmado por receber o Óscar para Melhor Filme”.

Euronews: “O Melhor Realizador foi pouco previsível este ano, mas no final Ang Lee ganhou com a versão deslumbrante de “A Vida de Pi” – o que jogou a favor dele?”

Brandi: “A Vida de Pi” ganhou vários prémios hoje. Não são os grandes prémios de Melhor Ator ou Melhor Filme, mas venceu pela cinematografia e efeitos visuais. É um filme estimulante e Ang Lee não é estreante no palco dos Óscares. Quando se observa o filme em si, creio que a Academia foi cativada pela orientação que deu ao filme. Esta categoria de melhor realizador ficou meio suspensa pois não estavam nomeados Ben Affleck ou Katherine Bigelow para “Zero Trinta Hora Negra”. Muitos perguntavam-se quem iria ganhar o Óscar e a “Vida de Pi” é um filme fantástico, muito bem feito e a Academia acreditava que Ang Lee merecia o prémio.”

Euronews: “Amor” de Michael Haneke ganhou na categoria de melhor filme estrangeiro, mas também estava nomeado para Melhor Filme – havia alguma hipótese de vencer os dois prémios?”

Brandi: “Aqui nos Estados Unidos muita gente não viu “Amor”, não foi um filme muito falado. Porque é fortemente conhecido por ser este filme estrangeiro e, claro, pela atriz francesa Emanuelle Riva que foi nomeada para Melhor Atriz. Creio que as pessoas apenas assumiram que provavelmente não ia ser o Melhor Filme, mas claro, teve imensos elogios da crítica. Com Emmanuelle também a ganhar um prémio BAFTA pelo seu papel.”

Euronews: “Sobre a Melhor Atriz, no final, foi Jennifer Lawrence, que ganhou com “Guia para um Final Feliz”, foi uma das surpresas da noite?

Brandi: “Creio que foi, porque muitos dos críticos durante o mês passado pensavam que Emanuelle Riva ia ganhar, ela ganhou o prémio BAFTA e fez um trabalho incrível neste papel, é uma história difícil de contar. Muitos achavam que Emanuelle ia ganhar, mas esta foi a grande noite de Jennifer Lawrence, ela estava muito surpresa e chocada no palco, creio que até ela estava um pouco surpreendida, por ter ganho esta noite.”

Euronews: Obrigada por estar connosco na Euronews.

Brandi: “Foi um prazer e uma noite maravilhosa”.