Última hora

Última hora

As redes sociais e a educação

Em leitura:

As redes sociais e a educação

Tamanho do texto Aa Aa

Com o sucesso das redes sociais, sobretudo junto dos mais novos, os educadores começam a questionar-se como podem aproveitá-las nas salas de aula. Mas enquanto os estudantes podem pensar que é uma boa ideia, alguns pais têm dúvidas se divertir-se no Facebook pode ensinar alguma coisa de útil aos filhos. Abordamos este tema no Learning World.

Singapura é um dos líderes económicos do sudeste asiático e uma das dez economias mais competitivas do mundo. E o país acredita que a educação é vital para manter as ambições económicas. E para se manter como um dos países economicamente mais avançados, o governo está a estudar formas para fazer evoluir o sistema de educação: as redes sociais fazem parte dessa estratégia.

O governo de Singapura designou a escola de Ngee Ann, em Singapura como uma “escola do futuro”. Os professores agora usam o Facebook nas aulas para partilhar informação com os estudantes. Os estudantes usam o Twitter nas aulas de Ingles para resumir excertos literários. E em economia e arte, os professores e alunos usam as redes para partilhar imagens e gráficos.

Esta escola usa as redes sociais, mas devem os professores utilizar o Facebook e o Twitter? Quais são as vantagens e porque se considera tão importante levar a tecnologia para a sala de aula? Colocámos estas questões a Sreenath Sreenivasan, jornalista de tecnologia e professor de Prática Profissional na Universidade de Columbia em Nova Iorque.

De acordo com este especialista, a grande inovação está a ocorrer agora e chama-se “Redes sociais”. É mais poderosa que o telemóvel e que os óculos Raio-X mas mais inprevisível que qualquer outra inovação. Nos anos 90 ninguém sabia exatamente o que fazer com e-mails. Hoje não sabemos o que fazer exatamente com as redes sociais e o papel que desempenham no mundo e na escola em especial.

Ouvimos Sree Sreenivasan dizer que não há lacunas geracionais entre pais e filhos no que diz respeito às redes sociais, mas muitos pais estão preocupados com a responsabilidade e o seu uso apropriado nas salas de aula. Na América do Sul, na Colombia a escola bilingue Richmond junta pais e crianças para navegar na internet e nas redes sociais. Há três anos, a escola implementou um projeto piloto, único na Colombia com um grupo de 12 crianças entre os 9 e os 12 anos. Experimentaram o que chamam de “uso positivo” de redes sociais como o Facebook, Prezi ou o Google para partilhar conhecimento com a família e amigos. O projeto teve bastante sucesso e foi integrado no programa das aulas de informática.

Claro que as redes sociais também fazem parte do nosso programa Learning World. Não se esqueça, por exemplo, de nos seguir no Twitter em #learnworld.