This content is not available in your region

As redes sociais e a educação

Access to the comments Comentários
De  Euronews
As redes sociais e a educação

<p>Com o sucesso das redes sociais, sobretudo junto dos mais novos, os educadores começam a questionar-se como podem aproveitá-las nas salas de aula. Mas enquanto os estudantes podem pensar que é uma boa ideia, alguns pais têm dúvidas se divertir-se no Facebook pode ensinar alguma coisa de útil aos filhos. Abordamos este tema no Learning World.</p> <p>Singapura é um dos líderes económicos do sudeste asiático e uma das dez economias mais competitivas do mundo. E o país acredita que a educação é vital para manter as ambições económicas. E para se manter como um dos países economicamente mais avançados, o governo está a estudar formas para fazer evoluir o sistema de educação: as redes sociais fazem parte dessa estratégia.</p> <p>O governo de Singapura designou a escola de Ngee Ann, em Singapura como uma “escola do futuro”. Os professores agora usam o Facebook nas aulas para partilhar informação com os estudantes. Os estudantes usam o Twitter nas aulas de Ingles para resumir excertos literários. E em economia e arte, os professores e alunos usam as redes para partilhar imagens e gráficos.</p> <p>Esta escola usa as redes sociais, mas devem os professores utilizar o Facebook e o Twitter? Quais são as vantagens e porque se considera tão importante levar a tecnologia para a sala de aula? Colocámos estas questões a Sreenath Sreenivasan, jornalista de tecnologia e professor de Prática Profissional na Universidade de Columbia em Nova Iorque.</p> <p>De acordo com este especialista, a grande inovação está a ocorrer agora e chama-se “Redes sociais”. É mais poderosa que o telemóvel e que os óculos Raio-X mas mais inprevisível que qualquer outra inovação. Nos anos 90 ninguém sabia exatamente o que fazer com e-mails. Hoje não sabemos o que fazer exatamente com as redes sociais e o papel que desempenham no mundo e na escola em especial.</p> <p>Ouvimos Sree Sreenivasan dizer que não há lacunas geracionais entre pais e filhos no que diz respeito às redes sociais, mas muitos pais estão preocupados com a responsabilidade e o seu uso apropriado nas salas de aula. Na América do Sul, na Colombia a escola bilingue Richmond junta pais e crianças para navegar na internet e nas redes sociais. Há três anos, a escola implementou um projeto piloto, único na Colombia com um grupo de 12 crianças entre os 9 e os 12 anos. Experimentaram o que chamam de “uso positivo” de redes sociais como o Facebook, Prezi ou o Google para partilhar conhecimento com a família e amigos. O projeto teve bastante sucesso e foi integrado no programa das aulas de informática.</p> <p>Claro que as redes sociais também fazem parte do nosso programa Learning World. Não se esqueça, por exemplo, de nos seguir no Twitter em #learnworld.</p>