Última hora

Última hora

"Qualquer que seja o vencedor, é Khamenei quem decide"

Em leitura:

"Qualquer que seja o vencedor, é Khamenei quem decide"

Tamanho do texto Aa Aa

Um país onde os dirigentes alimentam a hostilidade contra o Ocidente e onde grande parte dos habitantes vive sob repressão e abaixo do limiar da pobreza. O Irão prepara-se para escolher um novo presidente. Que mudanças pode esta eleição trazer para os iranianos e para a comunidade internacional? A vencedora do Prémio Nobel da Paz, Shirin Ebadi, uma acérrima defensora dos direitos humanos no seu país natal, o Irão, foi a convidada neste I-talk.

Ebadi não tem grandes dúvidas sobre o que vai acontecer neste escrutínio: “sendo as eleições organizadas pelo regime, vai haver manipulação. Do meu ponto de vista, para que as eleições sejam livres, era preciso existir um controlo por parte da ONU. É claro que o governo nunca o aceitaria, porque a vigilância das instituições internacionais impediria as fraudes eleitorais.”

Segundo a laureada com o prémio Nobel, “seja Said Jalili ou qualquer um dos outros [a vencer as eleições], não haverá alterações na política nuclear. Neste domínio, o único que pode tomar decisões é Ali Khamenei e ele não vai permitir que um presidente avance com mudanças.” Perante este cenário, a mensagem que Shirin Ebadi deixa aos seus compatriotas é a seguinte: “que o povo do Irão resista até alcançar os seus direitos. Continuem a resistir tranquilamente e saibam que a vitória está do vosso lado.”