Última hora

Última hora

Pobre Alemanha

Em leitura:

Pobre Alemanha

Tamanho do texto Aa Aa

Será que a Alemanha continua a ser o país da prosperidade e do milagre económico? A “Minister Stein” era uma conhecida mina de carvão na zona de Dortmund, na Alemanha. Extraía mais de 2 milhões de toneladas de antracite por ano. Hoje em dia, tornou-se num edifício de escritórios, sendo considerada património industrial. Em 31 de março de 1987, a mina foi encerrada. E, desde então, toda esta região mudou muito. O Ruhr era considerado como o coração da indústria pesada alemã, o motor do milagre económico do país. Atualmente, é uma das áreas mais pobres da Alemanha. A taxa de desemprego atinge aqui os 11%, quando a média nacional é de 6,8%. Uma em cada cinco pessoas está no limiar da pobreza. Aliás, o governo já assumiu que 15% da população total da Alemanha se encontra na mesma situação.

Em Dortmund, os números disparam para os 24%. Alguns estudos apontam que, na Alemanha, estes níveis deixaram de estar associados aos índices de desenvolvimento económico. Em 2011, por exemplo, o PIB cresceu 3,9% e a taxa de pobreza aumentou 4,1%. Ou seja, mais crescimento, mais pobreza. Da era industrial para uma sociedade de serviços; minas de carvão transformadas em prédios e museus. A mudança estrutural na Alemanha ilustra o paradoxo de ter um país cada vez mais rico, mas com um fosso cada vez maior entre quem tem dinheiro e quem não tem.