Última hora

Última hora

Conheça os quatro semifinalistas da Champions

Em leitura:

Conheça os quatro semifinalistas da Champions

Tamanho do texto Aa Aa

Neste The Corner especial, passamos em revista as equipas qualificadas para as meias-finais da Liga dos Campeões.

O Bayern de Munique chega ao sorteio de sexta-feira com vontade de defender o título ganho no ano passado. Para os vermelho-e-brancos, vai ser a quarta presença nos últimos cinco anos. A equipa de Guardiola mostrou que, depois do empate 1-1 em Manchester, a segunda mão não seria um problema.

Começou a perder por 1-0, na Allianz Arena, mas 20 minutos depois estava já a vencer por 3-1.

Vamos ver que tal foram as reações no fim do jogo: “Não é fácil jogar contra oito jogadores na grande área adversária. Isso aconteceu em Manchester, tentámos ser criativos no meio campo, com os passes entre Robben e Ribéry, mas o Manchester defendeu, o Manchester sabe defender. Depois do 1-1 da primeira mão, desta vez jogámos muito melhor e merecemos estar na meia-final”, disse Pep Guardiola, técnico do Bayern.

Já David Moyes, treinador do Manchester United, afirmou: “Os jogadores fizeram um excelente trabalho esta noite. A única falha foi terem concedido um golo depois de terem marcado, logo 30 segundos depois. Foi a maior falha. Mas os jogadores fizeram um grande trabalho. Jogámos contra os detentores do título, durante longos períodos conseguimos criar-lhes dificuldades, mas no fim não conseguimos aguentar”.

O Real Madrid está à procura, esta época, de um décimo título da Liga dos Campeões. Chegou a Dortmund com uma vantagem de 3-0 trazida da primeira mão, mas os alemães fizeram pressão no segundo jogo e venceram por 2-0. O Real Madrid não conseguiu marcar sem Ronaldo, lesionado, mas conseguiu garantir a presença na quarta semifinal da Liga dos Campeões consecutiva.

“Para mim, a chave foi o penálti falhado. Depois disso, o adversário ganhou coragem e conseguiu impor-se. Pode dizer-se que os jogadores ficaram com medo. Deixámos de jogar para a frente, limitámo-nos a defender em vez de manter a bola e correr com ela. Perdemos controlo ao longo do jogo, sobretudo durante grandes períodos da primeira parte”, disse o técnico do Real, Carlo Ancelotti.

O técnico do Borussia, Jürgen Klopp, reconhece a superioridade do Real Madrid: “Sim, colocámos alguma pressão sobre o Real, por isso eles tiveram de recorrer a coisas às quais habitualmente não recorrem. Esteve tudo bem. Se tivéssemos conseguido marcar um golo em Madrid, a esta hora estaríamos a caminho das meias-finais. Quero dizer que foi a melhor equipa que passou. Fomos eliminados e foram os melhores que passaram”.

Depois do empate por 1-1 no Camp Nou, o Atlético de Madrid avançou para as meias-finais com uma vitória por 1-0 em casa frente ao Barcelona.

Koke fez o único golo da partida. O Atlético de Madrid passou às meias-finais da Champions, pela primeira vez em 40 anos. Vamos ouvir o que disseram Diego Simeone e Tata Martino, depois do jogo.

“Estou mal, como seria de esperar, depois de uma derrota num jogo em relação ao qual as expectativas eram muito altas. Dói, mas vamos ter de seguir em frente. O bom disto é que, a 35 ou 40 dias do fim da época, ainda estávamos a lutar pela vitória em três competições diferentes”, disse Tata Martino, técnico do Barcelona.

Para Diego Simeone, aos comandos do Atlético, a humildade é a chave: “Vamos continuar humildes. 40 anos depois, voltamos a estar nas meias-finais de uma competição muito importante. Reconhecemos que as outras equipas estiveram presentes mais vezes que o Atlético, mas estamos confiantes no nosso trabalho e nesta oportunidade que temos”.

O homem mais ambicioso da Liga dos Campeões, José Mourinho, não tem intenções de deixar a luta pelo título. O Chelsea tinha perdido em França por 3-1, na primeira mão contra o Paris Saint Germain, mas na segunda mão o Chelsea correu riscos, sobretudo na segunda parte, em que apostou no ataque.

Demba Ba marcou o segundo golo do Chelsea a três minutos do fim e pôs a equipa no grupo de quatro semifinalistas.

Disse Laurent Blanc, técnico do PSG: “Podíamos ter marcado um golo de contra-ataque. Se tivéssemos conseguido marcar, estaríamos nas meias-finais, mas a verdade é que o Chelsea acreditou até ao fim e foi recompensado por isso. Boa sorte para eles”.

“Tudo pode acontecer. Um grande adversário está à nossa espera nas meias-finais, mas pouco importa quem é. Sabem que vão encontrar uma equipa com um espírito especial, mesmo se não estamos ao máximo do nosso potencial”, nas palavras de José Mourinho.