Última hora

Última hora

The Corner: Festa triste em Itália

Em leitura:

The Corner: Festa triste em Itália

Tamanho do texto Aa Aa

O fim de semana em Itália juntou o melhor e o pior do futebol. Em Turim houve festa, em Roma a final da Taça ficou marcada pela violência.

A Juventus nem precisou de entrar em campo para garantir mais um scudetto. Com a inacreditável derrota da Roma em Catania, os bianconeri asseguraram matematicamente o terceiro título italiano consecutivo, o 30º da sua história, ou 32º de acordo com os adeptos que contam também os títulos retirados devido à manipulação de resultados.

A festa fez esquecer a eliminação nas meias-finais da Liga Europa frente ao Benfica, quando a final até será no seu estádio. Pirlo e companhia já podem descansar, no próximo domingo estarão no olímpico de Roma para cumprir calendário, já com a terceira estrela sobre o emblema.

A vergonha do futebol italiano

No sábado já os “adeptos” tinham envergonhado o futebol italiano perante o mundo com os confrontos que antecederam a final da Taça, entre Nápoles e Fiorentina.

Daniele De Santis, ultra da Roma, foi o presumível autor dos disparos sobre os adeptos napolitanos, deixando um deles em estado bastante grave. Já bem conhecido pela polícia da capital, De Santis foi detido e acusado de tentativa de homicídio.

A final da Taça entre Nápoles e Fiorentina esteve mesmo em risco de ser suspensa. Os dois clubes acabaram por entrar em campo, se bem que com um atraso de 45 minutos.

Todas estas peripécias relegaram para segundo plano a vitória da equipa de Rafael Benítez. Os napolitanos venceram por 3-1 conquistando a Taça pela quinta vez.

Guingamp conquista Taça de França pela segunda vez

No Stade de France, o Guingamp venceu a segunda Taça da França da sua história. Tal como havia acontecido há cinco anos, derrotou na final o Rennes por 2-0.

A história neste dérbi da Bretanha começou a ser escrita aos 37 minutos quando o defesa de origem portuguesa Jonathan Martins Pereira atirou a contar após um lance de insistência.

A abrir o segundo tempo, Mustapha Yatabaré estabeleceu o resultado final.

O Rennes ainda tentou responder, colocando Nélson Oliveira em campo, mas já não havia nada a fazer. A festa foi feita pelo En Avant Guingamp.

Ninguém se ficou a rir em Espanha

Em Espanha, as contas estão cada vez mais complicadas depois dos três grandes terem tropeçado este fim de semana. Para as duas equipas de Madrid, que se vão defrontar na final da Liga dos Campeões, a cidade de Valência não deixou boas recordações.

Foi lá que o Atlético perdeu com o Levante, depois de nove triunfos consecutivos. Já o Real teve problemas com a maior equipa valenciana.

Os merengues estiveram à beira de ser derrotados em casa pelo Valência mas foram salvos com um golo de Cristiano Ronaldo ao cair do pano. João Pereira e Ricardo Costa jogaram os 90 minutos nos forasteiros, Rúben Vezo entrou para queimar tempo.

O ponto até deixa o Real mais próximo do Atlético mas ao mesmo tempo mais longe do título. A equipa de Ancelotti fica obrigada a esperar mais uma derrota dos colchoneros.

Quem não foi capaz de aproveitar os desaires dos rivais da capital foi o Barcelona, que não foi além de um empate na receção ao Getafe. Messi e Sánchez colocaram os catalães duas vezes em vantagem e por duas vezes Lafita empatou.

A Liga é a única esperança da equipa de Gerardo Martino, mas para isso terá de torcer por um desaire do Real Madrid.

O Barça segue a três pontos do Atlético, equipa que recebe na última jornada. O Real é terceiro, mas pode subir à segunda posição caso vença o encontro em atraso, quarta-feira em Valladolid.