Última hora

Última hora

Celebrações dos 70 anos do dia D atraem milhares de turistas

Em leitura:

Celebrações dos 70 anos do dia D atraem milhares de turistas

Tamanho do texto Aa Aa

É uma grande data para a história: 6 de junho de 1944, há 70 anos, o Desembarque aliado na Normandia, onde decorrem várias cerimónias de comemoração:

1- Laurence Alexandrowic é a enviada especial da euronews à Normandia. Diz-nos como como é que a região está a celebrar o Desembarque?

LA:
Sim Olivier de facto, a região está decorada com as cores das bandeiras americana, britânica, canadiana dependendo das praias em que os aliados desembarcaram. Há também cartazes com a seguinte frase: “todos nós temos 70 anos” e conhecemos um turista americano que disse que realmente sentiu o seu coração, muito próximo a essa frase. Os museus estão cheios, há um grande número de turistas, os restaurantes, hotéis estão completos. Nas estradas da Normandia vimos veículos militares da época: jipes, com condutores vestidos com trajes de época, que pertence a colecionadores de todo o mundo, desde França, Bélgica – onde eles são numerosos, a Inglaterra também. Há até mesmo russos que vieram de Jipe de Moscovo.

2- Laurence, nos últimos dias, encontraste muitos veteranos, nomeadamente americanos, britânicos e canadianos. O que representa para eles estar aí?

LA:
Esta cerimónia é única porque, na verdade, pode ser a última vez que muitos participam num aniversário como este, e devido a isso a emoção è enorme. O que sentem é muita alegria muito orgulho por estarem aqui, têm sempre uma pequena lágrima no canto do olho que, obviamente, se deve à lembrança de camaradas caídos no campo de batalha.
Os turistas reúnem-se para expressar grande entusiasmo por estes veteranos que eram esperados na Normandia. Tiram fotos com os turistas, as pessoas abraçam-nos. Vimos um grupo de três americanos cantar uma musiquinha dos anos 40, o homem contou uma piada e disse que não podia contar a história toda porque estava preocupado com os seus 90 anos. Têm contudo medo que exista uma nova guerra. Dizem que lamentam que o seu sacrifício não tenha sido usado de modo que a Europa e o mundo não tenham paz.”

3- As comemorações atraíram imensos turistas franceses e estrangeiros, como é que se explica?

LA:
Bem, devo dizer que este é um ano excepcional uma vez que no final de junho, em Sarajevo, haverá também o centenário da guerra de 1914 e eu acho que em tempos de crise as pessoas apegam-se a esses valores veiculados por esses jovens soldados que libertaram a França e a Europa. Há muitos turistas, principalmente americanos, que nos disseram o quanto era importante para eles honrar a memória dos mortos. Também se esperam na Normandia, entre junho e setembro, 400 eventos no âmbito das celebrações e um total de 8 milhões de turistas.