This content is not available in your region

Violência contra as mulheres é um fenómeno global

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Violência contra as mulheres é um fenómeno global

<p>A Violência contra as mulheres é um fenómeno global, esquecido, ignorado ou aceite. </p> <p>No Quénia, através da iniciativa “my dress, my choice”, dezenas de pessoas denunciam a agressão contra mulheres que vestem minissaias. Uma dessas mulheres foi, violentamente, atacada por um grupo de homens que lhe arrancou as roupas. A 23 de novembro aconteceu o mesmo a uma jovem num autocarro, em Nairobi.</p> <p>Os agressores, neste tipo de casos, são libertados depois de pagarem uma multa de menos de 1 Euro. Os defensores dos direitos humanos denunciam a falta de ação da justiça:</p> <p>“As mulheres têm sido sujeitas a níveis de violência elevados nos últimos tempos. Falo também de agressões sexuais. Há violações e não tem apenas a ver com a forma de vestir porque há mulheres de 80 anos e crianças de sete a serem violadas”, explica Cecilia Brenda Onyango, uma ativista.</p> <p>Um estudo, publicado por The Lancet, refere que a magnitude do problema é epidémica, planetária. Uma violência cada vez mais escondida.</p> <p>No mundo entre cem e cento e quarenta milhões de mulheres sofreram uma mutilação genital. Segundo a Unicef, trinta milhões de meninas em África e no Médio Oriente estão em risco de sofrer este tipo de mutilação, todos os anos. </p> <p>Sete por cento das mulheres correm o risco de ser violadas. Trinta por cento das mulheres são vítimas de violência por parte do seu parceiro. </p> <p>Ruqayya Parveen faz parte dos milhões de mulheres vítimas de violência conjugal. Enquanto dormia com os filhos, o marido, alcoolizado deitou-lhe ácido para cima. Perdeu a visão num olho e a orelha esquerda, um dos seus filhos ficou queimado nas costas. Dezoito meses depois continua a não conseguir dormir por causa da dor. Não pode trabalhar e sente-se esquecida, abandonada:</p> <p>“Fui vítima de um ataque com ácido. Amanhã alguém vai sofrer o mesmo destino porque a lei não funciona para as pessoas pobres, como nós. A lei é só para os ricos. As pessoas pobres como eu, não têm esperança de conseguir justiça. Quando faço as minhas orações lanço maldições ao meu marido, do fundo do meu coração.”</p> <p>Ainda que estas situações não aconteçam apenas no terceiro mundo muitos têm sido os casos, ocorridos nestas regiões, que acabam falados. Como o assassinato da Miss Honduras, e da irmã, depois de um ataque de ciúmes do noivo desta última. Situações recorrentes em muitos países.</p>