This content is not available in your region

A premiada atriz italiana Virna Lisi morre aos 78 anos

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com LUSA, Ansa, Wikipedia
A premiada atriz italiana Virna Lisi morre aos 78 anos

<p>Cobriu-se de “chantily” e acordou na cama de Jack Lemon, num dos filmes que fez para Hollywood, “Como matar a sua mulher”, de 1965, altura em que a “meca” do cinema americano procurava uma nova “Marylin Monroe”. Foi premiada em Cannes quase 30 anos depois pela participação em “A Rainha Margot”. Esta quinta-feira, morreu a atriz italiana Virna Lisi, que também deu nome a uma banda rock brasileira (vídeo em rodapé).</p> <iframe width="420" height="315" src="//www.youtube.com/embed/vixJordE_vc" frameborder="0" allowfullscreen></iframe> <p>Vierna Peralisi, de seu nome verdadeiro, nasceu em Ancona, Itália, em 1936. Começou a carreira cinematográfica em 1953, mas só em 1994 foi consagrada, quando recebeu a Palma de Ouro em Cannes pela interpretação de “Catarina de Médicis”, no já referido “A Rainha Margot”, de Patrice Chéreau.</p> <iframe width="560" height="315" src="//www.youtube.com/embed/zQtrUHqkv1c" frameborder="0" allowfullscreen></iframe> <p>Vierna Lisi inscreveu o nome em dezenas de filmes italianos, franceses e americanos. Contracenou com alguns dos maiores atores da sua geração como o francês Ala Delon, o italiano Marcelo Mastroianni, o britânico Richard Burton ou o também já referido americano Jack Lemon.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p><a href="https://twitter.com/hashtag/VirnaLisi?src=hash">#VirnaLisi</a>, il ricordo di Cristina Comencini. Latin lover uscirà postumo <a href="http://t.co/5OzT7CSlz5">http://t.co/5OzT7CSlz5</a> <a href="http://t.co/Bd1nYnrKyt">pic.twitter.com/Bd1nYnrKyt</a></p>— Agenzia <span class="caps">ANSA</span> (@Agenzia_Ansa) <a href="https://twitter.com/Agenzia_Ansa/status/545616797354176512">18 dezembro 2014</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>O último filme que pôde ver estrear no grande ecrã foi “O Mais Belo Dia da Minha Vida”, de Cristina Comencini, lançado em 2002. Prosseguiu a carreira na televisão italiana, participando em diversas séries e estava prestes a voltar ao grande ecrã, de novo pela mão de Cristina Comencini, em “Latin Lover”, que pode ser traduzido como “O Amante Latino” e cuja estreia em Itália está prevista para 19 março de 2015.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>Goodbye <a href="https://twitter.com/hashtag/VirnaLisi?src=hash">#VirnaLisi</a> Great actress and woman <a href="https://twitter.com/hashtag/cinema?src=hash">#cinema</a> <a href="http://t.co/XXwotydUB9">pic.twitter.com/XXwotydUB9</a></p>— Chiara Cesolari (@Kwowow) <a href="https://twitter.com/Kwowow/status/545630679074344961">18 dezembro 2014</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p><strong>Os brasileiros Virna Lisi</strong><br /> A banda brasileia Virna Lisi, que adotou o nome da atriz italiana desaparecida esta quinta-feira, nasceu em 1989 na cidade de Belo Horizonte, no estado de Minas Gerais. Misturando ritmos tropicais como o samba ou a congada com o Rock, lançaram em 1992 o primeiro disco, “Esperar o Quê?”. Três anos mais tarde, surgiu o segundo longa-duração, “O que Diriam os Vizinhos?”</p> <p>Contratados pela editora americana <span class="caps">MCA</span>, os Virna Lisi lançariam um terceiro disco em 1996, “SE Desce a Lona Vira Circo, Se Cerca Vira Hospício”. As fracas vendas do registo levou à dispensa do grupo pela editora e à separação do mesmo logo em 1997. Os Virna Lisi ainda se reuniram em 2009 para um único concerto no Festibal Eletronika, de Belo Horizonte.</p> <iframe width="420" height="315" src="//www.youtube.com/embed/nDhWRbx0d30" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>