Última hora

Última hora

Mulher suícida faz-se explodir e mata polícia em Istambul

Um polícia morto e um outro ferido é, para já, o balanço de um atentado suicida na esquadra da polícia do bairro de Sultanhamet, em Istambul

Em leitura:

Mulher suícida faz-se explodir e mata polícia em Istambul

Tamanho do texto Aa Aa

Um polícia morto e um outro ferido é, para já, o balanço de um atentado suicida na esquadra da polícia do bairro de Sultanhamet, em Istambul, Turquia.

De acordo com o governador da maior cidade turca, onde se registou este caso, uma mulher entrou na esquadra pelas 17h – 15h em Lisboa – e, expressando-se em inglês, terá começado por dizer ter perdido a carteira. De seguida, a mulher espoletou o cinto de explosivos que transportava, ferindo, num primeiro, momento os dois agentes da polícia atingidos pela deflagração.


A agência de notícias Anatolia já adiantou que um deles não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

Membros das forças de segurança e de equipas de socorro foram de imediato enviados para o bairro, que representa uma das principais atrações turísticas de Istambul e onde se situam a basílica de Santa Sofia e a Mesquita Azul, destinos muito procurados de peregrinação.

Para já, pouco se sabe sobre esta mulher (um jornal turco já publicou uma alegada foto da suicida) e o que a levou a cometer este atentado suicida. As autoridades estão a investigar, sendo que este é o segundo ataque, em menos de uma semana, contra agentes da polícia turca. Logo na viragem do ano, a 1 de janeiro, um homem armado lançou duas granadas contra um grupo agentes perto do palácio imperial de Dolmabahçe, também em Istambul.


As granadas não chegaram a explodir e o atacante foi de imediato detido, com a ação a ser reivindicada pelo Partido/ Frente Revolucionária de Libertação do Povo (DHKP-C), um grupo turco de extrema-esquerda já relacionado com o atentado suicida de fevereiro de 2013 contra a embaixada dos Estados Unidos na capital turca, Ancara.