Última hora

Última hora

Contos de Inverno nos Alpes Japoneses

Em leitura:

Contos de Inverno nos Alpes Japoneses

Tamanho do texto Aa Aa

Estamos nos Alpes Japoneses, a apenas duas horas de Tóquio, para uma aventura exótica sobre esquis. Neve abundante, pistas impressionantes, macacos

Estamos nos Alpes Japoneses, a apenas duas horas de Tóquio, para uma aventura exótica sobre esquis. Neve abundante, pistas impressionantes, macacos em fontes termais, é o que temos para vos mostrar nesta primeira edição de “Japan Life”.

Abi Takizawa, snowboarder:

“ – Numa palavra: em Hakuba a qualidade da neve é extraordinária.”

Hirokazu Yoshizawa, instrutor de esqui:

“- Como temos muita neve fresca aqui chamamos-lhe “Paraíso da Neve”.”

Marika Sota, snowboarder:

“- Em Hakuba vemos as paisagens como uma pintura. Com a montanha em redor, sentimo-nos imergir na natureza, o que é magnífico.”

Os três amigos vivem em Hakuba, no norte dos Alpes Japoneses, também conhecidos como o teto do Japão. Eles passam os dias nas pistas, a treinar-se e a desfrutar a sua paixão. A montanha culmina a três mil metros. Foi aqui que o esquiador austríaco Hermann Maier, conhecido como “Herminator”, forjou a sua lenda nos jogos Olímpicos de inverno de 1998, em Nagano.

Depois de um longo dia nas pistas de esqui chega o momento de relaxar. A nordeste de Nagano descobrimos uma das paixões ancestrais dos japoneses, as fontes termais, conhecidas aqui como “Onsen”. O Japão é um país vulcânico e tem milhares de nascentes de água quente espalhadas por todo o território. Pureza, paz e harmonia é o que se busca quando se mergulha nestas águas ricas em minerais, também procuradas pelas suas qualidades alegadamente medicinais.

Masae Ono, gerente de hotel:

“- Tradicionalmente falamos em “expor a alma”, ou seja, purificar o corpo e a alma no banho quente. Também dizemos que o “Onsen” nos proporciona longevidade.”

As pessoas não são os únicos seres a apreciarem estes banhos. No Vale do Inferno descobrimos um cenário único. Os macacos da neve selvagens deliciam-se nestas águas vulcânicas. É o seu spa privado. Passam aqui horas, o que não é de admirar. A temperatura da água ronda os 40 graus célsius.

Deixamos agora os macacos da neve e rumamos a Nagano a tempo de participar nas celebrações de Ano Novo. A família Takeucho reúne-se no dia mais importante do calendário nipónico, uma ocasião para Makiko vestir o quimono tradicional.

Makiko Takeuchi:

“- Fui eu que escolhi este quimono. Achei a forma redonda do crisântemo muito bonita. Quando visto um quimono sinto-me direita e serena.”

A primeira refeição do ano é um festim tradicional. Na ementa dos próximos três dias vamos encontrar a “comida da sorte” preparada pela família. Cada prato colorido tem um significado especial, como boa sorte, saúde ou felicidade.

Makiko Takeuchi:

“O Kamakobo tem a forma do sol nascente para celebrar o Ano Novo. Nós talhámos as delícias do mar para fazer estas decorações. Eu hei de preparar estes pratos, no futuro, com as minhas crianças para lhes transmitir esta tradição.”

Deixamos os Alpes Japoneses para rumar ao sul. Na próxima edição de “Japan Life” vamos descobrir a ilhas do Mar Interior de Seto e visitar um templo mundialmente conhecido, um paraíso para os ciclistas e uma ilha que respira arte.