Última hora

Última hora

Grécia: Despedir assessores e recontratar empregadas de limpeza

Celebrações de vitória à frente do ministério grego das Finanças, as cerca de 600 empregadas de limpeza despedidas pelo anterior governo vão

Em leitura:

Grécia: Despedir assessores e recontratar empregadas de limpeza

Tamanho do texto Aa Aa

Celebrações de vitória à frente do ministério grego das Finanças, as cerca de 600 empregadas de limpeza despedidas pelo anterior governo vão regressar aos postos de trabalho.

A decisão foi conhecida esta manhã.

As trabalhadoras protestavam desde 2013 quando souberam que ia ser despedidas.

“Lutámos durante 19 meses, uma batalha cansativa, frustrante e com muitos problemas. O que agora sentimos é reconhecimento por aquilo que passámos durante estes meses”, afirma uma empregada.

Os apelos das empregadas chegaram mesmo ao Supremo Tribunal de justiça mas perderam.

Agora, o novo ministro das Finanças vai cortar nas despesas do ministério, despedir assessores, e usar o dinheiro para os salários das empregadas.

“Hoje virámos a página do erro, da negação que custou vidas humanas, perdidas ou destruídas. Houve um custo para os nossos parceiros europeus. O problema não foi que a Alemanha ou a Itália, ou mesmo países mais pobres do que nós, como a eslováquia, não emprestaram dinheiro à Grécia. Eles deram mais do que deviam e esse dinheiro foi para um buraco negro”, declarou o ministro das Finanças, Yianis Varoufakis.

Os gregos e a Europa aguardam agora pela concretização, ou não, de promessas que até há bem pouco tempo pareciam impossíveis.

“O novo ministro das Finanças grego declarou que vai colocar um ponto final no programas de austeridade que adicionaram uma dívida a outra já de si insustentável e retiraram recursos da economia real”, explica a correspondente da Euronews, Symela Touchtidou.