Última hora

Última hora

Sobreviventes recordaram em Auschwitz, 70 anos depois

No aniversário dos setenta anos da libertação do campo de concentração de Auschwitz, criado pelo regime nazi alemão próximo de Cracóvia, na Polónia

Em leitura:

Sobreviventes recordaram em Auschwitz, 70 anos depois

Tamanho do texto Aa Aa

No aniversário dos setenta anos da libertação do campo de concentração de Auschwitz, criado pelo regime nazi alemão próximo de Cracóvia, na Polónia, os sobreviventes exortaram o mundo a não repetir os crimes do Holocausto.

No lugar onde perderam a vida de forma tão cruel cerca de 60 mil pessoas, aqueles que se salvaram carregaram pela vida fora recordações traumáticas.

“Não queremos que o nosso passado seja o futuro dos nossos filhos.”, disse um sobrevivente, Roman Kent.

Ronald Lauder, presidente do Congresso Judaico Mundial, falou de inquietações atuais:

“Não posso ignorar o que está a acontecer hoje. Judeus são perseguidos na Europa mais uma vez, apenas por serem judeus.”

As quatro maiores câmaras de gás de Auschwitz comportavam, cada uma, 2 mil pessoas para serem mortas de uma só vez.

Entre 20 maio de 1940 a 27 de janeiro de 1945 foram mortos em Auschwitz quase 60 mil prisioneiros – aproximadamente um milhão de judeus, entre 70 mil a 74 mil polacos, 21 mil ciganos e cerca de 15 mil prisioneiros de guerra soviéticos.