Última hora

Última hora

Sentença de Strauss-Khan por proxenetismo é lida a 12 de junho

O tribunal de Lille, em França, agendou para 12 de junho a leitura da sentença de Dominique Strauss-Khan. O antigo diretor do Fundo Monetário

Em leitura:

Sentença de Strauss-Khan por proxenetismo é lida a 12 de junho

Tamanho do texto Aa Aa

O tribunal de Lille, em França, agendou para 12 de junho a leitura da sentença de Dominique Strauss-Khan. O antigo diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI), de 65 anos está a ser julgado há cerca de três semanas por proxenetismo agravado e participação em orgias com prostitutas entre 2008 e 2011.

DSK, como também é conhecido, embora admita participar nas festas de natureza sexual, alega inocência por desconhecimentos que as mulheres envolvidas seriam prostitutas. A defesa pediu a absolvição do réu no início desta semana, por falta de provas. A acusação, nomeadamente o advogado de quatro das protistutas arroladas ao processo, sublinha a convicção de que o famoso suspeito estava perfeitamente ciente do estatuto das mulheres. Se for condenado, Strauss-Khan arrisca uma pena de 10 anos de prisão e uma multa de 1,5 milhões de euros.

Ao lado do outrora favorito à presidência de França, no banco dos réus, estão mais 13 pessoas, no que aparenta ser uma rede de organização de festas de cariz sexual, que teria o hotel Carlton, em Lille, como centro de operações.

As alegadas orgias envolvendo Strauss-Khan terão decorrido também em Paris e Washington. A detenção do antecessor de Christine Lagarde no FMI, por causa deste caso batizado com o nome “Carlton” aconteceu, faz este sábado, 21 de fevereiro, três anos. DSK, como também é conhecido, “passou então uma noite na prisão.“http://pt.euronews.com/2012/02/22/strauss-kahn-passa-a-noite-na-prisao/

Este caso “Carlton” é apenas mais um dos vários escândalos de natureza sexual em que o antigo diretor do FMI se tem visto envolvido. Em Maio de 2011, DSK foi detido nos Estados Unidos, já a bordo de um avião, quando se preparava para viajar para Paris e foi formalmente acusado de sete agressões sexuais contra uma empregada do hotel Sofitel, de Nova Iorque.

O caso foi muito mediático e deu origem, inclusive, a um “controverso filme de Abel Ferrara, “Welcome to New York” (“Bem vindo a Nova Iorque”), com o ator francês Gerard Depardieu a “encarnar” o protagonista principal”:http://pt.euronews.com/2014/05/17/welcome-to-new-york-exibido-em-cannes/.

Com o caso “Sofitel” ainda bem fresco e a aguardar julgamento, no início de julho de 2011, em Paris, a escritora e jornalista Tristane Banon apresentou queixa contra DSK por tentativa de violação num apartamento da capital francesa, onde teria ido para uma entrevista com o então já decadente homem forte do FMI.