Última hora

Última hora

Hungria: o fim do "poder absoluto" de Viktor Órban

A oposição húngara rejubila enquanto o governo conservador de Viktor Orbán relativiza a perda da maioria absoluta no parlamento. O partido Fidesz, à

Em leitura:

Hungria: o fim do "poder absoluto" de Viktor Órban

Tamanho do texto Aa Aa

A oposição húngara rejubila enquanto o governo conservador de Viktor Orbán relativiza a perda da maioria absoluta no parlamento.

O partido Fidesz, à frente da coligação de governo, sofreu um revês eleitoral no domingo, ao perder um deputado no hemiciclo durante um sufrágio parcial no condado de Veszprem.

A vitória de um candidato independente apoiado pela oposição de esquerda, significa agora menos poder de decisão para o executivo que se encontra em queda nas sondagens de popularidade.

Para o vencedor do escrutínio, Zoltán Kész, “ as pessoas estão fartas da corrupção que atinge esta cidade e disseram ao governo que não pode continuar a roubar. Penso que é algo essencial em política. Enviaram uma mensagem ao regime de Órban para que páre de roubar”.

Kész venceu o candidato do Fidesz ao recolher 44% de votos, com uma vantagem de mais de 11% face ao adversário.

Nas ruas de Veszprem, alguns foram apanhados de surpresa:

“Eu não estava à espera de este resultado, pensei que o candidato do Fidesz ía vencer. Foi uma surpresa”.

“Eu penso que toda a gente pressentiu há uns meses que esta eleição seria importante para o país inteiro”.

O sufrágio foi convocado para substituir o deputado do Fidesz, Tibor Navracsics, nomeado o ano passado como comissário europeu da educação, cultura, juventude e desportos.

O resultado da eleição parcial representa uma esperança para a oposição de esquerda que fala do início de um processo, a três anos das próximas eleições.