Última hora

Última hora

9 Teorias e 1/2 sobre o misterioso desaparecimento do voo MH370

Um ano após o intrigante desaparecimento do avião que efectuava o voo MH370, continuam a existir milhentas perguntas e quase nenhuma resposta.

Em leitura:

9 Teorias e 1/2 sobre o misterioso desaparecimento do voo MH370

Tamanho do texto Aa Aa

Um ano após o intrigante desaparecimento do avião que efectuava o voo MH370, continuam a existir milhentas perguntas e quase nenhuma resposta.

Point of view

Numa coisa, todos concordam: faltam elementos-chave para saber o que realmente se passou.

A falta de informações tem alimentado um turbilhão de teorias, mais ou menos conspirativas, sobre o destino do Boeing 777 da Malaysia Airlines e dos 239 passageiros e tripulantes a bordo.

A internet fervilha com o debate entre peritos, pilotos, famílias, curiosos e autoridades, entre outros. Numa coisa, todos concordam: faltam elementos-chave para saber o que realmente se passou.

A verdade é que este é daqueles mistérios que poderá nunca ser esclarecido.

Antes de sintetizar algumas das diferentes hipóteses sobre o sucedido, recordemos os factos que são conhecidos.

OS FACTOS

Sábado, 8 de Março de 2014, o avião, com destino a Pequim, na China, descola do aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia, às 00H41 (16H41 GMT). A bordo seguem 239 passageiros e tripulantes.

49 minutos depois, às 01H30, o controlo aéreo perde o contacto com a aeronave quando esta atravessava o Golfo da Tailândia, próximo do Ponto de notificação (waypoint) “Igari”.

À parte destes dados, quase tudo é uma incógnita e fonte de intenso debate.

AS TEORIAS

1 – Despenhou-se no Oceano Índico

A investigação oficial analisou os sinais “ping” enviados para os satélites da Inmarsat pelo Boeing 777, combinou essa informação com os dados recebidos directamente do avião antes das transmissões terem sido interrompidas e concluiu:

O avião voou para Sul depois de desaparecer dos radares militares da Malásia e acabou por cair no Oceano Índico, provavelmente na área onde decorrem actualmente as buscas, mas não obrigatoriamente dentro dessa área.

O motivo que terá levado o avião a mudar de rota é uma incógnita. Há quem defenda que o Boeing foi alvo de piratas do ar; outros evocam um erro do piloto ou uma falha técnica.

2 – Foi abatido por engano

Esta teoria foi esplanada no primeiro livro sobre o caso, “Flight MH370, The Mystery.”. O autor, Nigel Cawthrone afirma que o avião pode ter sido acidentalmente abatido durante os exercícios militares conjuntos dos Estados Unidos com a Tailândia, no Sul do Mar da China.

Não seria a primeira vez que um erro deste tipo aconteceria: Em 1983, a União Soviética abateu o voo 007 da Korean Air. Em 1988, a Marinha dos Estados Unidos abateu um avião comercial do Irão.

3 – Foi abatido próximo da Base dos EUA em Diego Garcia

A possibilidade foi avançada pelo antigo chefe da francesa Proteus Airlines, Mac Dugain, depois de relatos nunca confirmados de avistamentos do aparelho nas Maldivas.

Dugain argumenta que os norte-americanos temeram um ataque ao estilo do 11 de Setembro e abateram o avião.

4 – Explosão provocada pelo lítio no porão de carga

Segundo o manifesto de carga do voo MH370, o avião levava a bordo cerca de 200 kg em baterias de lítio. Investigadores encontraram “incongruências” no manifesto do frete e afirmam que poderiam estar perto de 2000 kg de lítio no porão.

Segundo esta teoria, terá ocorrido uma reacção em cadeia e uma ou mais explosões que terão provocado uma despressurização da cabine.

5 – Capturado pelos Estados Unidos e levado para Diego Garcia

A estratégica base militar dos Estados Unidos no Oceano Índico está no centro da hipótese que defendem que o avião da Malaysia Airlines foi capturado pelos norte-americanos.

A especulação é que entre os 153 chineses a bordo, estariam elementos da Divisão 101, a alegada secção de guerra informática do exército da República Popular da China, que a CIA quereria interrogar.

6 – Está no Paquistão para ser usado por terroristas

Um general norte-americano propagou a ideia que o Boeing 777 foi desviado para uma região do Paquistão controlada pelos Talibãs. Objectivo: Carregá-lo com armas de destruição maciça para um ataque contra Israel.

A tenebrosa ideia ganhou dimensão global graças ao magnata da comunicação social, Rupert Murdoch que escreveu no Twitter: “Talvez não se tenha despenhado, mas sim roubado e eficazmente escondido, talvez no Paquistão, tal como Bin Laden”.

7 – O MH370 e o MH17 são o mesmo avião

A hipótese assenta em fotos do local onde o MH17 se despenhou na Ucrânia, no dia 17 de Julho de 2014. Os seus defensores, à imagem de um episódio de “Sherlock”, acreditam que o MH370 terá estado escondido durante seis meses e depois largado no Leste da Ucrânia com se fosse o MH17.

Como terá acontecido tudo isto? Nem os próprios arriscam uma teoria.

8 – Vladimir Putin ordenou o sequestro do MH370

Antigo piloto e perito em questões aeronáuticas da CNN, Jeff Wise especula que Vladimir Putin terá ordenado o sequestro do Boeing 777 da Malaysia Airlines.

Wise alega que o rasto do avião indica que as comunicações por satélite foram desligadas, mas que voltaram a ser ligadas momentaneamente 3 minutos depois, sugerindo que os piratas do ar terão falsificado os dados enviados para os satélites para enviar as buscas numa pista falsa rumo a Sul.

O perito/comentador acredita que o avião terá voado a baixa altitude, junto às fronteiras da região, para evitar ser detectado e que terá finalmente aterrado no Cazaquistão.

Wise afirma que os instrumentos a manipular são acessíveis a partir da cabine e que estavam três cidadãos russos a bordo.

O que teria levado o Kremlin a sequestrar um avião? Isso, Wise não faz a mínima ideia.

9 – A teoria “Costa Concordia”

Simon Hardy, experiente capitão de aeronaves, com muitas horas aos comandos de um 777, propõe uma abordagem emocional, que é considerada “credível” pelas autoridades australianas.

Hardy sugere que o piloto do MH370, Zaharie Ahmad Shah terá querido “despedir-se” da ilha onde vivia, Penang, acabando por “pousar” a aeronave no Oceano e afundando-se de seguida, um pouco à imagem da passagem do Costa Concordia junto à ilha de Giglio para saudar a população e que acabou num trágico naufrágio.

Hardy acredita que a aeronave sofreu uma “despressurização” da cabine e que tripulação e pilotos terão ficado inconscientes. Hardy nunca usa o verbo “despenhar” para classificar o que se passou.

9 e 1/2 – Foi sequestrado por extraterrestres

Sem comentários.