Última hora

Última hora

UE dá ajuda de emergência de dois mil milhões de euros à Grécia

A “mini-cimeira” sobre a Grécia dominou a Cimeira Europeia. E mesmo garantindo que não foram tomadas decisões, os presidentes da Comissão Europeia

Em leitura:

UE dá ajuda de emergência de dois mil milhões de euros à Grécia

Tamanho do texto Aa Aa

A “mini-cimeira” sobre a Grécia dominou a Cimeira Europeia. E mesmo garantindo que não foram tomadas decisões, os presidentes da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker e do Conselho Europeu, Donald Tusk, anunciaram que a União Europeia colocou à disposição da Atenas dois mil milhões de euros provenientes de fundos europeus não utilizados.
De qualquer forma, Juncker garantiu que os fundos podem ser usados este ano,mas não para resolver as necessidades de tesouraria da Grécia. O luxemburguês explicou que deve ser utilizados para “reforçar os esforços para o crescimento e a coesão social”, sobretudo para fazer face ao elevado desemprego entre os jovens.

Donald Tusk sublinhou que o encontro serviu para restabelecer a confiança. Além disso, o polaco afirmou que “a partir de hoje o nosso trabalho comum, as nossas negociações, o nosso trabalho em Bruxelas e Atenas vão ser mais fáceis”.

Na conferência de imprensa final, a chanceler alemã garantiu que a Grécia deve cumprir à risca o que foi acordado em fevereiro na extensão do resgate.
De qualquer forma, Merkel defende que Atenas é responsável pelas próprias reformas, “isto significa que o governo grego tem a possibilidade de substituir algumas reformas por outras, se tiverem o mesmo efeito.”

O primeiro-ministro grego, que convocou o encontro à margem da cimeira europeia, saiu satisfeito de Bruxelas e aproveitou para esclarecer rumores fatalistas. Tsipras garantiu que “não existe um problema de liquidez a curto prazo na economia grega. As nossas obrigações com os cidadãos e credores estão totalmente garantidas. Além disso, os depósitos nos bancos gregos estão seguros”.

O primeiro-ministro grego comprometeu-se ainda a apresentar novas reformas estruturais nos próximos dias. Já na segunda-feira Tsipras vai a Berlim para se encontrar com Merkel.