Última hora

Última hora

Centristas finlandeses favoritos nas legislativas de domingo

A 19 de Abril, há eleições legislativas na Finlândia. As mais recentes sondagens prevêm um apoio de cerca de 24% aos liberais do Partido do Centro

Em leitura:

Centristas finlandeses favoritos nas legislativas de domingo

Tamanho do texto Aa Aa

A 19 de Abril, há eleições legislativas na Finlândia.

As mais recentes sondagens prevêm um apoio de cerca de 24% aos liberais do Partido do Centro.

Se estas previsões se confirmarem, o próximo Primeiro-Ministro será Juha Sipilä, um rosto novo no cenário político finlandês.

Sipilä ganhou a simpatia dos finlandeses com promessas como a de criar 200 mil postos de trabalho em dez anos. Em contraste com outros membros do seu partido, Sipilä não se opõe à União Europeia.

Não concorda porém com a adesão do seu país à NATO, preferindo consolidar a cooperação militar da Finlândia com a Suécia, que se preocupa igualmente com a atitude de crescente agressividade demonstrada pela Rússia.

Ainda segundo as sondagens, o Partido de Coligação Nacional do Primeiro-Ministro Alexander Stubb poderá obter no próximo domingo cerca de 17% dos votos.

Numa questão, todos os partidos estão de acordo com o governo cessante: o setor da defesa ficará fora de eventuais cortes nas despesas.

O Partido dos Finlandeses de Timo Soini(anteriormente designado Partido dos Verdadeiros Finlandeses), que conseguiu um resultado confortável nas eleições de 2011, permanecendo na oposição, tem-se afirmado como um dos partidos principais, juntamente com o Partido do Centro e dois dos partidos que integram o atual governo: o Partido Social-Democrata e o Partido de Coligação Nacional.

Esta formação política, que defende uma redução da imigração e se opôs aos resgates na zona euro – como a Portugal, Irlanda ou Grécia, poderá conquistar 16,7% de apoio.

Uma coisa é certa: o partido vencedor terá de procurar pelo menos dois parceiros de coligação. Neste quadro, o partido de Timo Soini aparece assim como potencial parceiro dos centristas de Juha Sipilä.