Última hora

Última hora

Macedónia: Militares tentam desalojar últimos combatentes

Os tiros continuavam a ecoar no domingo de manhã em Kumanovo, no norte da Macedónia. O assalto das forças da ordem num bairro de maioria étnica

Em leitura:

Macedónia: Militares tentam desalojar últimos combatentes

Tamanho do texto Aa Aa

Os tiros continuavam a ecoar no domingo de manhã em Kumanovo, no norte da Macedónia. O assalto das forças da ordem num bairro de maioria étnica albanesa, contra um grupo armado de várias dezenas de homens, começou no sábado. Os confrontos fizeram pelo menos seis mortos e trinta feridos nas fileiras da polícia. O governo decretou dois dias de luto nacional. As autoridades falam de vários mortos entre os elementos do grupo armado mas não adiantam números. A ministra do Interior, Gordana Jankulovska, afirmou que duas dezenas de combatentes se renderam às autoridades. Alguns resistem no entanto às forças da ordem.

O governo da Macedónia afirma que este grupo armado vem de um país vizinho, mas não diz qual. Kumanovo situa-se junto à fronteira com o Kosovo e a Sérvia. A zona foi palco de confrontos étnicos em 2001. O país tem pouco mais de 2 milhões de habitantes. Cerca de 25 por cento é de origem albanesa e muçulmana. A Macedónia atravessa uma grave crise social e política.