Última hora

Última hora

Alemanha regista primeira morte associada à MERS este ano na Europa

O caso foi diagnosticado em fevereiro. Um alemão de 65 anos contraiu o vírus numa viagem à Península Arábica. Conseguiu curar-se, mas sofreu uma nova infeção relacionada com o MERS e acabou por morrer

Em leitura:

Alemanha regista primeira morte associada à MERS este ano na Europa

Tamanho do texto Aa Aa

Um alemão de 65 anos foi a primeira vítima mortal este ano na Europa, na sequência de uma infeção provocada pelo coronavírus ou Síndrome Respiratória do Médio Oriente (MERS, na sigla inglesa). A doença, até agora e neste surto mais recente, estava limitada à Coreia do Sul, mas o Ministério regional da Saúde do Estado alemão da Baixa Saxónia revelou esta terça-feira o primeiro caso europeu.


A vítima terá visitado em fevereiro a Península Arábica, de onde é originária a MERS. Durante a visita a um mercado de animais, onde havia dromedários, uma espécie que se acredita poder ser portadora do vírus.

Após o regresso à Alemanha e com sintomas de uma infeção pulmonar, o homem foi internado no hospital de Osnabrück e teria conseguido livrar-se do MERS, mas viria a contrarir uma outra infeção relacionada com o coronavírus e acabaria por morrer a 6 de junho.

“Lamentamos muito a morte deste paciente. As nossas condolências vão para a família, que esperava uma melhoria da sua condição e agora tem de lidar com esta grande perda”, afirmou a ministra da Saúde da Baixa Saxónia, Cornelia Rundt.

Este foi o segundo caso mortal na Alemanha relacionado com o MERS. Em março de 2013, um outro homem de 73 anos morreu em Munique depois de uma viagem aos Emirados Árabes Unidos. Um outro caso foi registado em Essen, mas a vítima recuperou e sobreviveu.

Ao todo, desde setembro de 2012, foram registados 15 casos confirmados em laboratório relacionados com o MERS — 8 resultaram em morte – o último o agora revelado. Os casos europeus abrangem oito países: Áustria, França, Alemanha, Grécia, Itália, Holanda, Turquia e Reino Unido.


Em comunicado, as autoridades sanitárias germânicas garantiram que as cerca de 200 pessoas que estiveram em contacto com a vítima foram examinadas e nenhuma está contaminada. O risco de contágio na Europa continua baixo, mas a Organização Mundial de Saúde se mantenham em alerta e vigilantes face a pessoas oriundas de zonas afetadas pelo MERS.

Balanço de mortos na Coreia do Sul sobe para 19

Na Coreia do Sul, entretanto, o balanço de mortos relacionados com o surto de MERS está nos 19. O número de infeções subiu, esta terça-feira, mais quatro registos e, no total, são já 154 casos de coronavírus identificados no país, todos contraídos em ambientes hospitalares exceto o primeiro, um empresário que tinha regressado a Seul de uma viagem ao Médio Oriente e que foi diagnosticado a 20 de maio.

Otimista no combate à doença, a presidenta sul-coreana Park Geun-hye visitou uma escola primária, esta terça-feira, um dia após a reabertura de quase 500 escolas que foram encerradas na semana passada por precaução face ao surto de MERS. A visita da governante foi mais um passo na estratégia de tranquilizar os cidadãos face à epidemia.

Ainda assim, prosseguem as medidas de prevenção em espaços públicos. Esta terça-feira, foi a plateia do Centro de Artes Performativas de Seul a ser alvo de desinfestação.