Última hora

Última hora

Mogherini: "Acordo com Irão é oportunidade histórica para começar a construir confiança"

Saudado pela Europa, Estados Unidos e Irão, mas vilipendiado por Israel, o acordo sobre a energia nuclear é o maior avanço de sempre nas relações

Em leitura:

Mogherini: "Acordo com Irão é oportunidade histórica para começar a construir confiança"

Tamanho do texto Aa Aa

Saudado pela Europa, Estados Unidos e Irão, mas vilipendiado por Israel, o acordo sobre a energia nuclear é o maior avanço de sempre nas relações entre a comunidade ocidental e o Irão, desde a revolução de 1979.

Ao fim de uma maratona negocial, finalmente foi alcançado um consenso. O Irão vai poder continuar a desenvolver energia nuclear, com fins pacíficos, mas fica impedido de ter um programa nuclear militar (por outras palavras, a bomba nuclear).

A Europa e os Estados Unidos vão levantar as sanções relacionadas com este programa. Uma peça fundamental foi a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini. Em entrevista à euronews comentou o processo de negociação.

Reihaneh Mazaheri, euronews – Quais foram os questões políticas mais difíceis?

Federica Mogherini, Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança – Decidimos enfrentar os últimos problemas políticos difíceis – foram mais do que apenas alguns, seis ou sete foram bastante difíceis – no conjunto, como um pacote, tentando encontrar equilíbrios para manter a natureza de um acordo e permitir às partes envolvidas anunciar que “este é um bom acordo”. Foi e continua a ser importante que este acordo seja bom para todos, para todas as partes que o subscreveram, mas também para o resto da comunidade internacional, porque estas foram negociações que começaram com um mandato das Nações Unidas. Por isso,estamos a fazer tudo isto não só pelo povo dos nossos países, da Europa, do Irão, Estados Unidos ou outros, mas em nome de toda a comunidade internacional.

Reihaneh Mazaheri, euronews – Existiram momentos em que pensou que um acordo não fosse possível?

Federica Mogherini, Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança – Houve muitos momentos em que a posição parecia tão diferente e distante que se adivinhava impossível alcançar um acordo. Mas por outro lado, a vontade política de todos os envolvidos foi muito forte, sempre, bem como o compromisso, a dedicação, a vontade e diria também o sentido de responsabilidade que todos trouxeram para a mesa de forma a superar estas dificuldades. Julgo que todos estão de acordo com a União Europeia de que esta é uma oportunidade histórica para mudar não só a questão iraniana, o problema nuclear, mas também para mudar a natureza da nossa relação, para começar a construir confiança.

Reihaneh Mazaheri, euronews – A União Europeia e o Irão vão agora estar mais próximos?

Federica Mogherini, Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança – Como União Europeia e Estados-membros temos a nossa própria maneira de contribuir para a implementação do acordo. Isto será muito importante. No futuro poderemos trabalhar para fortalecer a cooperação política ou a relação com o Irão e estarmos mais próximos.

Reihaneh Mazaheri, euronews – A Rússia também fez parte das negociações. Este facto abrirá a porta para uma maior cooperação também com a Rússia?

Federica Mogherini, Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança – A cooperação com a Rússia neste formato e neste contexto foi extremamente positiva. Todos os lados tiveram, obviamente, uma razão política forte para facilitar este acordo, para alcançá-lo, e a Rússia desempenhou um papel. Há outras questões nas quais a União Europeia e a Rússia, entre outros, estão a trabalhar juntos. Penso, por exemplo, no processo de paz no Médio Oriente, em que a União Europeia, os Estados Unidos, a Rússia e as Nações Unidas estão a trabalhar juntos no quarteto. As coisas estão a funcionar, a nossa cooperação está a correr bem. Em relação ao processo de paz no Médio Oriente, ainda há algum trabalho por fazer, mas o formato funciona bem. Isto significa que a nossa cooperação em questões globais e regionais importantes é possível e julgo que deveríamos explorar mais essa vertente.