Última hora

Última hora

Migração: Caos na reabertura de gare ferroviária em Budapeste

Centenas de migrantes tomaram de assalto a principal estação ferroviária de Budapeste, na Hungria, depois de a polícia ter retirado do local. A gare

Em leitura:

Migração: Caos na reabertura de gare ferroviária em Budapeste

Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de migrantes tomaram de assalto a principal estação ferroviária de Budapeste, na Hungria, depois de a polícia ter retirado do local.

A gare esteve encerrada, aos migrantes, durante dois dias.

A multidão precipitou-se para as composições estacionadas na plataforma e o caos generalizou-se. Os conflitos surgiram e muitos pais fizeram entrar os filhos, nos comboios, pelas janelas, na esperança de que as composições partissem para a Áustria ou para a Alemanha.

Apesar do tumulto, a empresa que opera os caminhos-de-ferro na Hungria avisou que nenhum dos comboios que estavam na estação iria partir para a Europa Ocidental.

As autoridades ainda não se pronunciaram sobre qual a razão para a retirada da polícia do local.

Mais de duas mil pessoas, muitas refugiadas de conflitos do Médio Oriente e de África, estão acampadas no redor da principal estação de caminhos-de-ferro da capital húngara, à espera de poderem embarcar para os países da Europa Ocidental.

As autoridades avisam que não poderão embarcar pois as regras europeias estipulam que só aqueles que possuem documentos válidos podem circular na União Europeia.

A reabertura da gare acontece no dia em que o Parlamento húngaro discute propostas de lei para restringir a migração e para punir aqueles que forem apanhados a passar a vedação de mais de 3 metros de altura que a Hungria construiu na fronteira com a Sérvia.