Última hora

Última hora

Isabel II: a fortuna da raínha

Isabel II detém o recorde como o monarca que mais tempo reina no trono britânico, porém a raínha não é tão rica como se pensa. Em 1990, Isabel

Em leitura:

Isabel II: a fortuna da raínha

Tamanho do texto Aa Aa

Isabel II detém o recorde como o monarca que mais tempo reina no trono britânico, porém a raínha não é tão rica como se pensa.

Em 1990, Isabel II tinha a maior fortuna do Reino Unido, mas era uma questão de critério de contabilidade. Desde que, em 1994, deixaram de ser contabilizados os bens que possui em nome do Estado, a raínha ficou fora do grupo dos 300 mais ricos, com uma fortuna avaliada em cerca de 384 milhões de euros, segundo o Bloomberg Billionaires Index. A maior parte, vem da herança que Isabel II recebeu da sua mãe.

A monarca britânica tem um portfólio de investimentos que consiste na sua maior parte de ações de empresas britânicas.

Isabel II possui também propriedades privadas, incluindo a Sandringham House, em Norfolk, o castelo Balmoral, em Aberdeenshire e outras casas menores.

A sua fortuna pessoal inclui, para além do legado da rainha-mãe, jóias, carros, cavalos e uma coleção de selos.

Uma importante fonte de receita para a fortuna da raínha vem do Fundo Soberano, composto por uma percentagem fixa sobre os lucros do património da Coroa, que reúne uma série de propriedades e é calculado em cerca de 10 mil milhões de euros.

O património da Coroa é hoje um negócio comercial independente, com um dos maiores portfólios de propriedades do Reino Unido.

Os Windsor custam caro aos contribuintes – com um orçamento de 50 milhões de euros, a família real britânica é a melhor dotada da Europa. Ao mesmo tempo, a família real vale mais de 78 biliões de euros para a economia britânica, sendo parte deste valor receita turística.