Última hora

Última hora

Primeiro-ministro dinamarquês: "Também é um problema de migração"

A Dinamarca não autoriza cerca de 200 migrantes seguirem de comboio para a Suécia. Oriundos da Alemanha, as pessoas que pretendem pedir asilo aos

Em leitura:

Primeiro-ministro dinamarquês: "Também é um problema de migração"

Tamanho do texto Aa Aa

A Dinamarca não autoriza cerca de 200 migrantes seguirem de comboio para a Suécia.

Oriundos da Alemanha, as pessoas que pretendem pedir asilo aos suecos não querem sair dos comboios na estação de Rodby.

Receiam ser registados na Dinamarca.

As autoridades dinamarquesas interromperam as ligações ferroviárias provenientes da Alemanha.

O primeiro-ministro, Lars Løkke Rasmussen, comentou a situação. “Não quero na Dinamarca cenas idênticas às da estação de Budapeste. Mas é bastante claro que estamos sob pressão. E isto demonstra claramente a complexidade disto. As pessoas que vêm até à Dinamarca estão em fuga. A Dinamarca é pacífica e um país seguro. No entanto, existem pessoas que dizem não querer asilo no nosso país, preferem ir para a Suécia. Isto é complexo e mostra claramente que não estamos a enfrentar exclusivamente um problema de refugiados. Também é um problema de migração”, disse.

Também no sul da Dinamarca, em Frøslev, cerca de 300 migrantes deixaram uma escola onde estavam alojados e começara a caminhar em direção à Suécia.

A polícia fechou a autoestrada e tentou resolver o problema com a ajuda de interpretes de forma a dialogar homens mulheres e crianças obstinados a ir para a Suécia.