Última hora

Última hora

Acordo nuclear iraniano domina campanhas na corrida à Casa Branca

Foi a responsável pela diplomacia americana entre 2009 e 2013. Agora Hillary Clinton tem pela frente o desafio de liderar os democratas na corrida à

Em leitura:

Acordo nuclear iraniano domina campanhas na corrida à Casa Branca

Tamanho do texto Aa Aa

Foi a responsável pela diplomacia americana entre 2009 e 2013. Agora Hillary Clinton tem pela frente o desafio de liderar os democratas na corrida à Casa Branca. E o último tema a dominar a sua campanha é o acordo nuclear iraniano, um dossiê que conheceu de perto enquanto secretária de Estado e que defende.

Mesmo assim, Clinton declara que “os Estados Unidos nunca irão permitir que os iranianos alcancem a arma nuclear. Como presidente, tomarei todas as medidas que forem necessárias para proteger os Estados Unidos e os seus aliados. Não hesitaremos em tomar ações militares.”

Do lado republicano, a mesma questão. Dois candidatos à corrida presidencial, Ted Cruz e Donald Trump, protagonizaram um protesto junto ao Capitólio contra a implementação do acordo que estipula o levantamento das sanções a Teerão.

Trump afirmou à euronews que “a Rússia e outros países vendem mísseis, vendem armamento nuclear. Os Estados Unidos não vendem nada…”. À pergunta “se isso vai mudar se chegar à Casa Branca”, responde: “Farei coisas que ninguém acredita serem possíveis. Será fantástico para os americanos e para o país.”

Já o senador Ted Cruz, conotado com a ala ultraconservadora republicana, o Tea Party, considera o seguinte: “Se o acordo avançar, milhões e milhões de dólares irão parar às mãos do Hamas, do Hezbollah, dos Houthis, dos terroristas radicais islâmicos, para matar americanos, israelitas e europeus.”

O jornalista da euronews Stefan Grobe salienta que “o acordo iraniano divide os Estados Unidos como nenhum outro tema o fez nos últimos anos. O Congresso prepara o debate sobre a questão. Mas o verdadeiro veredito será dado nas eleições presidenciais do próximo ano.”