Última hora

Última hora

São Paulo é a cidade lusófona mais cara do Mundo numa lista que exclui Luanda

São Paulo é a cidade lusófona mais cara do Mundo de entre as 3 que integram a lista de 71 urbes dos 4 cantos do Mundo elaborada pelo UBS. O estudo

Em leitura:

São Paulo é a cidade lusófona mais cara do Mundo numa lista que exclui Luanda

Tamanho do texto Aa Aa

São Paulo é a cidade lusófona mais cara do Mundo de entre as 3 que integram a lista de 71 urbes dos 4 cantos do Mundo elaborada pelo UBS. O estudo publicado esta sexta-feira pelo banco suíço inclui apenas 3 cidades africanas, excluindo da comparação Luanda, num top que é liderado por Zurique.

A capital de Angola, curiosamente, foi eleita há cerca de três meses, pelo terceiro ano consecutivo, como a cidade mais cara do mundo num outro estudo elaborado pela Mercer.

Ao contrário do estudo da Mercer, que comparou mais de 360 cidades em todo o Mundo e teve como referência um cesto com mais de 200 produtos ou serviços, a metodologia seguido pelo UBS cingiu-se a 71 cidades e teve como referência um cesto com 122 produtos e serviços considerados os essenciais para uma família europeia de três membros.

O UBS calculou que uma família precisa de 1752 euros para viver em São Paulo e colocou a cidade mais populosa do Brasil no 43.° lugar, entre as 71 cidades comparadas.

Brasil com duas cidades e Portugal apenas com a capital foram pelo banco suíço UBS numa comparação de custo de vida entre setenta e uma cidades dos quatro cantos do Mundo. Dois lugares mais abaixo, surge a “cidade maravilhosa” e, porventura, o maior postal brasileiro no mundo, o Rio de Janeiro, onde uma família necessita de 1710 euros mensais para viver.

Lisboa surge no 47.° lugar, exigindo a cada família de três membros o gasto de 1639 euros mensais. A capital portuguesa surge à frente das 3 cidades africanas incluídas neste estudo (Cairo, Joanesburgo e Nairobi) e, curiosamente, de Moscovo.

O primeiro lugar da lista do UBS é ocupado por Zurique, na Suíça, onde uma família precisa de 3208 euros mensais. No segundo lugar, surge Genebra, com 3132 euros. O terceiro lugar é ocupado por Nova Iorque, a única cidade não europeia das primeiras seis do “top”.

Na “cidade que nunca dorme” no leste dos Estados Unidos, uma família necessita de 2951 euros por mês. Se o cálculo, no entanto, incluísse o valor das rendas, Nova Iorque seria a líder deste “ranking” do UBS.

Virando a tabela ao contrário, a cidade mais barata, entre as 71 comparadas, é Kiev. Para viver na capital da Ucrânia, o UBS calculou que uma família necessita por mês de 1124 euros. O segundo lugar das mais baratas é ocupado por Sófia, na Bulgária (1151 euros/ mês), e o terceiro por Bucarste, na Roménia (1293 euros/ mês).