Última hora

Última hora

Escândalo da Volkswagen abriu "caixa de Pandora", sugere organização

O escândalo, que envolve a gigante alemã Volkswagen na manipulação de testes às emissões de gases poluentes, promete fazer correr muita tinta, pelo

Em leitura:

Escândalo da Volkswagen abriu "caixa de Pandora", sugere organização

Tamanho do texto Aa Aa

O escândalo, que envolve a gigante alemã Volkswagen na manipulação de testes às emissões de gases poluentes, promete fazer correr muita tinta, pelo menos de acordo com a organização de campanha ambiental Transport & Environment.

O relatório “Mind da Gap”, divulgado esta segunda-feira pela Organização Não Governamental (ONG), deixa entender que há outras marcas de peso no mercado, como a Mercedes, BMW ou Peugeot, que já exploraram as lacunas dos procedimentos de testes. Em alguns casos, a diferença entre os resultados obtidos em ambiente controlado e a realidade é superior a 50%.

A organização considera que o sistema europeu de testes de consumo de combustível e de emissões de CO2 está “absolutamente” desacreditado.

“Sabemos que a indústria automóvel tem a capacidade de manipular os testes aos veículos de várias formas. É preciso ter a certeza de que os testes são efetuados por organizações genuinamente independentes porque atualmente são realizados pelos laboratórios das próprias construtoras, por pessoas que recebem dinheiro em troca. Mesmo as organizações que supervisionam esses testes recebem dinheiro”, sublinha Greg Archer, da Transport & Environment.

O organização estima que os condutores saem lesados porque gastam, em média, mais 450 euros do que seria suposto. Uma consequência do anúncio de que os carros consomem menos 50% de combustível do que o que se verifica na prática.

A Comissão Europeia é responsável por estabelecer os limites de emissões e pelas normas de procedimento dos controlos. Já os testes são realizados pelas autoridades responsáveis em cada um dos 28 Estados-membros. Um facto que faz engrossar o coro de críticas.

“A Comissão Europeia sabia que as emissões reais eram bastante mais elevadas do que os valores medidos. Por isso, poderiam ter feito muito mais para garantir que a indústria automóvel cumpria os padrões estabelecidos. Julgo que neste momento a Comissão se escusa com as autoridades nacionais”, denunciou o eurodeputado verde neerlandês Bas Eickhout.

Das revelações feitas nos Estados Unidos para o velho continente, os ministros da Indústria da União Europeia debatem, na quinta-feira, a polémica que envolve o fabricante alemão Volkswagen.