Última hora

Última hora

Luaty Beirão acaba greve de fome, mas luta vai continuar

Protesto chega ao fim depois de 36 dias. Julgamento está marcado para dia 16 de novembro.

Em leitura:

Luaty Beirão acaba greve de fome, mas luta vai continuar

Tamanho do texto Aa Aa

Após 36 dias de greve de fome, Henrique Luaty Beirão abandonou o protesto. O “rapper” luso-angolano protestava contra a prisão preventiva dele e de outros 14 ativistas, detidos a 20 de junho, acusados de conspirarem para derrubar o Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos.

Point of view

Vi pessoas de várias partes do mundo, organizações de cariz civil, personalidades, desconhecidos com experiências de luta na primeira pessoa que, sozinhos ou em grupo, se aglomeram no pedido da nossa libertação. Já o sentíamos antes, mas não com esta dimensão.

O fim do protesto foi anunciado pelo próprio numa carta publicada no site Rede Angola. Os apelos da mulher, dos amigos, companheiros e de pessoas de todo o mundo fizeram com que o luso-angolano cedesse.

Além de Luaty, estão detidos Domingos da Cruz, Afonso Matias “Mbanza Hamza”, José Gomes Hata, Hitler Jessia Chiconda “Samussuku”, Inocêncio Brito, Sedrick de Carvalho, Fernando Tomás Nicola, Nelson Dibango, Arante Kivuvu, Nuno Álvaro Dala, Benedito Jeremias, Osvaldo Caholo, Manuel Baptista Chivonde “Nito Alves” e Albano Evaristo Bingo.

Terminada que está a greve de fome, resta esperar pelo julgamento, marcado para dia 16 de novembro. Os protestos contra a detenção do “rapper” e companheiros prometem continuar.