Última hora

Última hora

O metro de Londres resiste à "psicose" após ataque de sábado

As circunstâncias do ataque de ontem no metro de Londres estão longe das ações terroristas que abalaram, no passado, os transportes da capital

Em leitura:

O metro de Londres resiste à "psicose" após ataque de sábado

Tamanho do texto Aa Aa

As circunstâncias do ataque de ontem no metro de Londres estão longe das ações terroristas que abalaram, no passado, os transportes da capital britânica.

Na ausência de detalhes sobre as motivações e a identidade do atacante, os utentes do metro não parecem ceder para já à psicose vivida após os atentados de há 10 anos.

“Eu não vou mudar os meus hábitos, pois não acredito que se consiga defender nada através da violência”, afirma uma passageira.

Outra passageira recorda, “a polícia reagiu com rapidez – eu estava no autocarro e vi como os transportes foram suspensos e a situação foi rapidamente resolvida. E é positivo saber que todos estão em alerta, caso a situação se repita, o que provavelmente vai acontecer”.

Para uma terceira passageira, “penso que o que aconteceu ontem é horrível, mas trata-se apenas de uma pessoa com más intenções e não penso que a situação se volte a repetir, por isso não vale a pena estar inquieto nos transportes, a menos que queiramos deixar de sair à rua”.

O ataque de ontem ocorre dias depois da polícia britânica anunciar ter neutralizado cerca de sete possíveis atentados desde o início do ano, um dos quais tinha como objetivo a linha de metro da cidade.