This content is not available in your region

Números confirmam: ritmo da economia da China caiu para os 6,9 por cento

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
Números confirmam: ritmo da economia da China caiu para os 6,9 por cento

<p>A segunda maior economia do Mundo mantém-se em lume brando e os mercados a ressentir-se. De acordo com o Gabinete de Estatísticas oficial, a China cresceu em 2015 à média de 6,9 por cento, o ritmo mais lento dos últimos 25 anos num país que habituou o mundo a um crescimento na casa dos dois dígitos nas últimas décadas.</p> <p>O governo de Pequim confirmou o abrandamento da respetiva economia em linha com as previsões de 7 por cento dos analistas. “A economia cresceu a um ritmo moderado, mas estável e sólido”, assinalou um comunicado do Gabinete.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr"><a href="https://twitter.com/hashtag/BREAKING?src=hash">#BREAKING</a>: China's <span class="caps">GDP</span> grows by 6.9% in 2015, in line with expectation <a href="https://t.co/KnTMZ5hFX2">pic.twitter.com/KnTMZ5hFX2</a></p>— China Xinhua News (@XHNews) <a href="https://twitter.com/XHNews/status/689266040375623680">19 janeiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Em termos cronológicos, o produto interno bruto (<span class="caps">PIB</span>) da China abriu o último ano a crescer os esperados 7 por cento e manteve o ritmo no segundo trimestre, mas começou a baixar no terceiro. O crescimento chinês fechou o ano em queda, nos 6,8 por cento.</p> <p>A produção industrial avançava 5,9 por cento em dezembro face aos 6,2 por cento do mês anterior e o setor dos serviços representou pela primeira vez mais de metade (50,5 por cento) do <span class="caps">PIB</span> chinês, que fechou o ano nos 67,67 biliões de yuan (9,48 biliões de euros) e uma taxa de desemprego oficial de 5,1 por cento.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">China's services sector contributes 50.5% to its <span class="caps">GDP</span> in 2015, up from 48.1% in 2014 <a href="https://t.co/k7mG5CVbBb">https://t.co/k7mG5CVbBb</a> <a href="https://t.co/s5A3L4Kb9a">pic.twitter.com/s5A3L4Kb9a</a></p>— China Xinhua News (@XHNews) <a href="https://twitter.com/XHNews/status/689275853222510592">19 janeiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>A estimativa é que o abrandamento económico da China continue em 2016. Pequim tem como objetivo um crescimento mínimo anual de 6,5 por cento até 2020, com o Fundo Monetário Internacional (<span class="caps">FMI</span>) a estimar que o <span class="caps">PIB</span> chinês deverá baixar este ano para os 6,3 por cento.</p>