Última hora

Última hora

Em 2050, oceanos poderão ter mais plástico do que peixes

Um mundo onde a quantidade de plástico nos oceanos é superior à de peixe: este é o futuro, não tão distante, que tenta combater Ellen MacArthur, que

Em leitura:

Em 2050, oceanos poderão ter mais plástico do que peixes

Tamanho do texto Aa Aa

Um mundo onde a quantidade de plástico nos oceanos é superior à de peixe: este é o futuro, não tão distante, que tenta combater Ellen MacArthur, que lançou o alerta em Davos.

Apoiado nos estudos da fundação dirigida pela conhecida velejadora britânica, o Fórum Económico Mundial sublinhou a necessidade de contrariar a tendência para um forte aumento na produção de plásticos que pode passar dos 311 milhões de toneladas registados em 2014, para quase quatro vezes mais em 2050.

Por ano, são vertidos nos oceanos 8 milhões de toneladas de plásticos, o que equivale a despejar um camião no mar por minuto.

MacArthur diz que é preciso repensar não só a produção, como as alternativas ao plástico:

“Se conseguirmos adaptar o sistema, chegar a acordo sobre determinados materiais, dialogar com as pessoas certas, trabalhar com os decisores políticos, criar projetos inovadores e melhorar o lado económico e as estatísticas, podemos abrir a via à mudança completa na economia do plástico.”

Vários países já avançaram com medidas para tentar limitar, nomeadamente, o uso de sacos de plástico. Portugal avançou com uma taxa de 10 cêntimos sobre os chamados “sacos leves”, considerados de “usar e deitar fora”.

A correspondente da euronews em Davos, Isabelle Kumar, diz que “a mensagem para os líderes aqui reunidos é gritante: se não agirem agora, em 2050, haverá mais plástico do que peixes no mar”.