Última hora

Última hora

Vestir a pele de um refugiado em Davos

Milhares de pessoas tentam, todos os dias, desesperadamente chegar à Europa. Desta vez o cenário serve de mote a uma experiência no mínimo invulgar

Em leitura:

Vestir a pele de um refugiado em Davos

Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas tentam, todos os dias, desesperadamente chegar à Europa. Desta vez o cenário serve de mote a uma experiência no mínimo invulgar no Fórum Económico Mundial de Davos. Durante uma hora, os delegados têm a possibilidade de vestir a pele de um refugiado. A iniciativa a cargo da Crossroads Foundation, uma organização sem fins lucrativos, visa sensibilizar os participantes para um problema sem solução à vista.

Euronews: “Mais de um milhão de migrantes e refugiados chegaram à Europa no ano passado. E tudo aponta para que em número continue a aumentar em 2016”

A crise dos refugiados continua a dividir a Europa. Os esforços para chegar a um consenso falharam e os líderes europeus fecharam a porta ao plano apresentado pela Comissão Europeia de atribuição de quotas nacionais para a distribuição de refugiados.

“Penso que os países europeus precisam de ser encorajados a assumir as responsabilidades internacionais em relação aos refugiados e reconhecer que são parte do problema” afirma Winnie Byanyima, presidente executivo da Oxfam.

Parte de um problema que muitos preferem ignorar. Os mais críticos admitem, por isso, que a situação se possa tornar insustentável se nada for feito.

“Penso que a Europa tem de encarar os fluxos migratórios como algo que vai perdurar e, por isso, precisa de políticas estruturais. Pelo que não se deve limitar a dar resposta a situações de emergência “ refere Jean-Marie Guehenno, presidente do International Crisis Group.

Os sinais estão à vista, resta agora saber se a Europa vai ser capaz de passar à ação de forma a dar resposta aquele que já é considerado um dos maiores desafios de sempre.