Última hora

Última hora

Sexta-feira Santa: Papa denuncia venda de armas e padres pedófilos

Os migrantes, as vítimas de padres pedófilos e a venda de armas foram recordados pelo papa Francisco durante as comemorações, em Roma, da Sexta-feira

Em leitura:

Sexta-feira Santa: Papa denuncia venda de armas e padres pedófilos

Tamanho do texto Aa Aa

Os migrantes, as vítimas de padres pedófilos e a venda de armas foram recordados pelo papa Francisco durante as comemorações, em Roma, da Sexta-feira Santa.

Numa oração que proferiu depois da Via Sacra, o papa argentino denunciou a indiferença face à situação dos migrantes, o escândalo dos padres pedófilos, o terrorismo que profana o nome de Deus e o comércio de armas que alimenta as guerras.

Jorge Mario Bergoglio condenou veementemente a pedofilia no clero: “Ó Cruz de Cristo, ainda hoje te vemos nos ministros infiéis que, em vez de se despojarem das suas vãs ambições, despojam mesmo os inocentes da sua dignidade”.

“Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos fundamentalismos e no terrorismo dos seguidores de alguma religião que profanam o nome de Deus e o utilizam para justificar as suas inauditas violências”, disse o papa.

A Sexta-feira Santa, que recorda a paixão e morte de Jesus Cristo, é comemorada pelos católicos em todo o mundo. Em Sevilha as confrarias organizam procissões com figuras religiosas, repetindo uma tradição que data do século XIV.

Em Taxco de Alarcón, no México, realizam-se a procissão de Cristo do Santo Enterro e a procissão das Almas, um cortejo noturno no qual participam penitentes vestidos de negro e acorrentados.