Última hora

Última hora

PKK reivindica atentado no Curdistão turco

Um dia depois do ataque mortífero, o primeiro-ministro turco Ahmet Davutoğlu foi a Diyarbakir deixar uma mensagem.

Em leitura:

PKK reivindica atentado no Curdistão turco

Tamanho do texto Aa Aa

O PKK, movimento independentista curdo, reivindicou o ataque à bomba de quinta-feira em Diyarbakir, no Curdistão turco, que matou sete polícias turcos e deixou 27 pessoas feridas.

Point of view

Nunca tivemos medo e nunca vamos ter. Sempre estivemos aqui e sempre vamos estar.

O PKK, considerado organização terrorista pela Turquia, Estados Unidos e União Europeia, intensificou a violência nos últimos tempos. Um dia depois do ataque, o primeiro-ministro Ahmet Davutoğlu foi a Diyarbakir deixar uma mensagem: “Nunca tivemos medo e nunca vamos ter. Sempre estivemos aqui e sempre vamos estar. Deus há de tirar-me um dia a vida e vim aqui pedir para que seja em Diyarbakir, aqui com os meus irmãos curdos”, disse na visita à cidade.

Este foi um dos maiores atentados dos últimos meses no Curdistão levado a cabo pelo PKK, que retomou a luta armada em julho do ano passado e matou mais de 300 membros das forças de segurança turcas desde então.

O PKK opera também no Iraque. Foi, justamente, no norte do Iraque que a aviação turca levou a cabo uma operação na manhã de sexta-feira. Foram destruídos vários alvos do PKK, incluindo abrigos e depósitos de munições.