PKK reivindica atentado no Curdistão turco

PKK reivindica atentado no Curdistão turco
De  Ricardo Figueira com Anadolu, Reuters, TRT
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um dia depois do ataque mortífero, o primeiro-ministro turco Ahmet Davutoğlu foi a Diyarbakir deixar uma mensagem.

PUBLICIDADE

O PKK, movimento independentista curdo, reivindicou o ataque à bomba de quinta-feira em Diyarbakir, no Curdistão turco, que matou sete polícias turcos e deixou 27 pessoas feridas.

O PKK, considerado organização terrorista pela Turquia, Estados Unidos e União Europeia, intensificou a violência nos últimos tempos. Um dia depois do ataque, o primeiro-ministro Ahmet Davutoğlu foi a Diyarbakir deixar uma mensagem: “Nunca tivemos medo e nunca vamos ter. Sempre estivemos aqui e sempre vamos estar. Deus há de tirar-me um dia a vida e vim aqui pedir para que seja em Diyarbakir, aqui com os meus irmãos curdos”, disse na visita à cidade.

Este foi um dos maiores atentados dos últimos meses no Curdistão levado a cabo pelo PKK, que retomou a luta armada em julho do ano passado e matou mais de 300 membros das forças de segurança turcas desde então.

O PKK opera também no Iraque. Foi, justamente, no norte do Iraque que a aviação turca levou a cabo uma operação na manhã de sexta-feira. Foram destruídos vários alvos do PKK, incluindo abrigos e depósitos de munições.

Why PKK shifted to urban warfarehttps://t.co/GxJYov0lmvmahmutbozarslan</a></p>&mdash; Serif Turgut (Ljiljantr) April 1, 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Responsáveis da discoteca que ardeu em Istambul detidos para interrogatório

Incêndio em discoteca de Istambul faz dezenas de mortos

Vitória da oposição é sinal de "ingratidão", dizem apoiantes de Erdoğan na Turquia